Estatística não ganha jogo, mas o Botafogo tem dois motivos com base nos números para ficar otimista em relação à partida contra o Corinthians, hoje, às 17h, no Nilton Santos. O primeiro é que, na condição de visitante, o time paulista não vence o Alvinegro carioca há sete anos. O segundo envolve um duelo pessoal entre os técnicos Zé Ricardo e Jair Ventura, que dá uma apimentada na disputa. O atual treinador botafoguense — com passagens por Flamengo e Vasco — jamais perdeu para o adversário, que nestes encontros era o comandante alvinegro.

Nos cinco confrontos entre Zé Ricardo e Jair, foram três vitórias “ricardianas” — duas pelo Rubro-Negro e uma pelo Cruz-Maltino — e dois empates, ambos em clássicos Flamengo x Botafogo.

— Jair é um grande companheiro, tomara que seja um grande espetáculo. Vamos torcer para que ele não tenha sucesso, mas a amizade continua — disse Zé Ricardo, rindo.

A amizade entre os dois se estreitou ainda mais quando eles dividiram a sala de aula no curso de técnico da CBF — Zé Ricardo e Jair tiraram a Licença A na mesma turma, em dezembro de 2017.

O jogo de hoje coloca frente a frente estilos diferentes de comando. Enquanto o treinador botafoguense tenta ser mais propositivo, o corintiano aposta em uma defesa mais fechada, tentando explorar contra-ataques e espaços dados pelo adversário. Desde o início do confronto entre os dois, quando Zé Ricardo tinha na mão um Flamengo com elenco melhor tecnicamente, o enredo tem sido esse. O que ajuda a explicar os placares favoráveis para seu lado.

Se no Vasco x Botafogo do ano passado o cenário era de equilíbrio, pela primeira vez Jair tem na mão um time que, em tese, é mais “recheado”. Mas o Corinthians não está tão longe assim na tabela: tem quatro pontos a mais e também ainda corre risco de rebaixamento. Isso aumenta a relevância da partida.

— Não podemos mais errar, é vencer ou vencer — analisou Zé Ricardo.

Fonte: Extra Online