Sem desespero, o Botafogo resolveu esperar a pausa por conta da disputa da Copa América para promover a estreia de Victor Rangel. Mais forte fisicamente e adaptado ao estilo de jogo, o atacante, contratado no fim de maio, entrou em campo pela primeira vez com a camisa do Alvinegro no último domingo, no empate contra o Cruzeiro, e teve um impacto positivo na atuação do Glorioso.

Após um primeiro tempo sem grandes chances criadas, Barroca tirou Erik e colocou Victor Rangel. A mudança fez Diego Souza, que iniciou como atacante, recuar para o meio-campo e dar mais qualidade ao ataque do Botafogo, já que o camisa 7 recuou, se afastou da marcação dos zagueiros do Cruzeiro e, com mais espaço para jogar, fez o Alvinegro melhorar.

Não à toa, o Botafogo passou a assustar e figurar mais no campo ofensivo. No segundo tempo, o Alvinegro finalizou cinco vezes e chegou perto do gol, com Alex Santana e Rodrigo Pimpão. Para isto, a presença de Victor Rangel, um jogador de mais mobilidade na frente, foi essencial, já que as movimentações resultaram em um Botafogo mais leve e forte no ataque.

– Victor entrou muito bem, segurando as bolas e ganhando as bolas pelo alto. Entrou ativo, marcando e ajudando na compactação. Isso deu mais alternativas para o Diego, que estava jogando de meia, poder jogar para frente. Entendo que essa mexida fez a gente crescer e ganhar mais profundidade. Tanto que na parte final tivemos três chances que poderíamos ter feito o gol – analisou Barroca, ao fim da partida.

A partida pode resultar em um marco para Eduardo Barroca, que ganhou uma nova opção para as próximas partidas. Sem dinheiro para contratar novos jogadores, a capacidade de improviso vai ser importante nesses momentos. A mudança de Diego Souza para o meio resultou em uma equipe capaz de levar a bola do centro para o ataque, justamente o fator que o Botafogo sentiu dificuldade durante o duelo contra o Cruzeiro.

Victor Rangel mostrou que pode ser útil e é mas uma alternativa à posição de centroavante, podendo também atuar pelos lados do campo. Para Diego Souza, jogar como meio-campo não é novidade: durante grande parte da carreira, o camisa 7 entrou em campo para exercer tal função. Aos poucos, o Botafogo vai conhecendo os novos caminhos que o elenco pode proporcionar.

Fonte: Terra