Quando Gustavo Bochecha, então com 20 anos, estava prestes a fazer sua primeira partida como profissional no Botafogo, brincou com Matheus Fernandes, um de seus melhores amigos da base e que já havia sido “promovido”. Como havia ganhado uma oportunidade, o volante roubaria a vaga do companheiro. Os dois deram risada. No último dia 4 de fevereiro, no jogo contra o Macaé pelo Estadual, Bochecha foi titular e, aos 17 minutos, sofreu um rompimento no ligamento cruzado do joelho esquerdo. Foi substituído justamente pelo amigo Matheus. E chorou.

— Foi muito difícil. A única coisa que sei fazer é jogar futebol, então não poder fazer o que sei é duro. Mas me amparei muito na família e nos amigos para aguentar — lembra o jogador.

Recuperado, Bochecha voltou a ser relacionado recentemente e já ficou no banco de reservas cinco vezes, mas não entrou em campo. O jejum acaba hoje, às 20h, em Los Larios, em Caxias, na estreia do Botafogo no Brasileiro de Aspirantes, contra o Atlético-MG. A primeira edição da competição sub-23 terá dez clubes — o Alvinegro é o único do Rio. Podem jogar atletas com menos de 23 anos, da base e do profissional, e até três com mais idade. É a chance para jogadores como Buchecha ganharem minutos em campo. O retorno desperta mais que ansiedade no volante:

— Estou ansioso e com medo ao mesmo tempo. É claro que quando se fica tanto tempo fora dá nervoso na hora do chute, de dividida ou de mudanças bruscas de direção.

PACHU E SAULO TAMBÉM SERÃO APROVEITADOS

Bochecha, o meia-atacante Pachu e o goleiro Saulo serão os jogadores do profissional utilizados na primeira rodada do Brasileiro de Aspirantes e devem continuar ao longo do campeonato. Segundo o técnico Eduardo Barroca, o clube não planeja usar jogadores com mais de 23 anos:

— Eu e Jair Ventura estamos conversando quase que diariamente para decidir tudo isso. Por enquanto, definimos esses, mas pode mudar.

O caso de Pachu é curioso: ele havia sido emprestado ao Santa Cruz há cerca de dois meses e ainda não tinha entrado em campo. Quando soube da competição, ele mesmo entrou em contato com Barroca e se colocou à disposição para jogar.

O Brasileiro de Aspirantes ocorrerá ao mesmo tempo em que acontece o Torneio Otávio Pinto Guimarães (OPG), que o sub-20 disputa no segundo semestre. Com isso, os recém-saídos do sub-17 devem jogar o OPG.

— É um efeito dominó de amadurecimento, do sub-17 ao sub-20 — disse Barroca.

Fonte: Extra Online