‘Novo Careca’ foi xodó de Seedorf e valia R$ 150 MI; hoje, recomeça e sonha voltar

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

“Eu ouvia pra caramba isso, que era o ‘novo Careca’. Ele me deu apoio e conversou muito comigo. Ele é um ídolo e um cara que é um fenômeno do Guarani, mas não tem como comparar comigo que estou começando, ainda tenho a carreira toda pela frente. Fico muito feliz por ter essa comparação”.

Muitos dos bons jogadores que surgem nas categorias de base dos clubes invariavelmente são comparados com grandes craques do futebol brasileiro. Autor da frase acima, o atacante Bruno Pereira Mendes não é diferente.

Pouco tempo depois de se tornar profissional, aos 17 anos, o jogador já era comparado com o ídolo de Guarani e São Paulo e foi procurado pelo PSV, da Holanda, mas o valor de sua multa rescisória era exorbitante: cerca de R$ 150 milhões para clubes do exterior – para times nacionais, o valor era de R$ 40 milhões.

Revelado pelo Guarani em 2012, Bruno Mendes, hoje com apenas 21 anos, se destacou no Campeonato Paulista daquele ano, quando o “Bugre” chegou à final e foi derrotado pelo Santos, em dois jogos no Morumbi.

“Fizemos uma campanha linda no Paulista, pena que perdemos a final para o Santos. O dérbi contra a Ponte foi o jogo mais especial, vencê-los nas semifinais foi demais”, disse, em entrevista ao ESPN.com.br, relembrando o duelo da semi, que terminou em vitória por 3 a 1 no Brinco de Ouro da Princesa.

Natural de Cruzeiro, no interior de São Paulo, Bruno começou sua caminhada no futebol profissional em Bauru, em partida pelo Guarani, no Campeonato Paulista Sub-17.

“Eu estava como reserva, mas entrei logo no primeiro tempo e perdíamos por 2 a 0 para o Noroeste. Sofri um pênalti, um cara fez. Daí eu fiz quatro gols e o jogo terminou empatado por 5 a 5”, contou.

Depois disso se firmou entre os jogadores mais promissores do clube, sendo artilheiro de vários campeonatos, antes de se profissionalizar em 2012. Autor de seis gols pelo time campineiro naquela temporada, ele chamou atenção de diversos times grandes do futebol brasileiro. O Palmeiras, então comandado por Luiz Felipe Scolari, tentou sua contratação.

“Consegui fazer gols em várias equipes. Um jogo que me marcou mais foi contra o Palmeiras, em que vencemos por 3 a 1 e fiz dois gols. O Felipão me deu parabéns e elogiou, fiquei sabendo até que pediu minha contratação após o Campeonato Paulista, mas não aconteceu”, lembrou.

Suas boas atuações o levaram a ter uma chance no Botafogo, do técnico Oswaldo de Oliveira. Ao lado dele estava uma das maiores lendas do futebol: Clarence Seedorf. Após pouco tempo em General Severiano, os dois já eram amigos, e Bruno Mendes era o “xodó” do meio-campista holandês.

“Foi uma honra e ganhei muita experiência e ele me elogiava muito. Contra o Vasco fiz dois gols e dei um passe quando vencemos por 3 a 2 no Engenhão. Quando acabou o jogo ele me elogiou muito e falou comigo, um cara que é famoso. Foi uma honra ter atuado ao lado dele, ter recebido conselhos”, disse.

“Ele é um cara brincalhão, me ajudava muito e sempre me deu muita moral. É o jeitão dele, gostava de cantar no vestiário. Vencemos juntos meu primeiro título como profissional, no Carioca de 2013, e foi bem especial”, completou.

Pertencente ao Deportivo Maldonado, time do empresário uruguaio Gustavo Arribas, Bruno Mendes tenta recomeçar na carreira. Hoje emprestado ao Vitória de Guimarães, ele garante ter começado bem a temporada na segunda divisão portuguesa.

“Cheguei em julho e fui para o time B pra pegar ritmo de jogo e, em quatro jogos, já fiz dois gols e comecei a muito bem. A ideia é fazer uma boa temporada e jogar pelo time principal do Vitória de Guimarães, que tem o Henrique Dourado, ex- Palmeiras”, comentou.

Mas, claro, sem se esquecer de seu ex-time.

“Eu me identifico pra caramba com o Botafogo e espero um dia voltar, é um time que tenho um carinho enorme”, concluiu.

Notícias relacionadas