A estrela de Wallyson se apagou. Ou, pelo menos, não tem brilhado como antes. Depois do início promissor, o herói que garantiu o Botafogo na fase de grupo da Libertadores enfrenta um jejum de seis partidas e a pergunta “Onde está Wally?” volta à tona, agora, no sentido literal.

A queda de rendimento do atacante é proporcional ao desempenho do time desde a última vitória na competição internacional, dia 11 de fevereiro, sobre o San Lorenzo. Na ocasião, Wallyson marcou um dos gols no triunfo por 2 a 0 e, a partir de então, não balançou mais a rede.

Wallyson amarga um jejum de seis jogos sem balançar a rede

Foto:  Ernesto Carriço / Agência O Dia

Ele participou de quatro partidas pelo Carioca — sendo que na derrota para o Macaé entrou no segundo tempo — e de outras duas pela Libertadores sem deixar sua marca.
O jejum completou um mês na terça-feira e o atacante não conseguiu encerrá-lo contra o Independiente del Valle. Aquele brilho da noite de gala no Maracanã em 5 de fevereiro, quando marcou três gols na goleada de 4 a 0 sobre o Deportivo Quito, não foi mais visto.

Aos poucos, Wallyson perdeu espaço nos corações alvinegros, mas para sua ‘sorte’, não apareceu ninguém no time para ocupá-lo. E não há quem ouse duvidar da capacidade de aparecer em momentos importantes do camisa 19.

O potiguar terá a chance de voltar a ser decisivo no principal palco do futebol brasileiro na terça-feira. O Botafogo receberá o Independiente com a expectativa de que a combinação Wallyson, Maracanã e Libertadores seja, novamente, sinônimo de vitória e brilho, tanto da estrela do atacante quanto da Solitária.

Cansaço e esperança na bagagem

Além da derrota, a delegação alvinegra voltou do Equador com um cansaço extra na bagagem. O avião fretado pelo clube teve que retornar ao Equador quando estava prestes a sobrevoar o espaço aéreo peruano porque não tinha autorização. O resultado foi um atraso de três horas e olheiras no desembarque no Rio, na manhã de quinta-feira.

Curiosamente, o árbitro Manuel Garay, muito criticado na derrota para o Independiente del Valle, é peruano, o que gerou brincadeiras durante o voo.

Ainda na liderança do Grupo 2, os jogadores demonstaram confiança, principalmente porque o Botafogo terá dois jogos seguidos no Maracanã.

“Chegou a hora do apoio do nosso torcedor, para podermos fazer o nosso futebol com alegria e toque de bola”, disse Jefferson.

Fonte: O Dia Online