O Botafogo perdeu para o Flamengo por 2 a 0 na noite deste sábado, na abertura da 14ª rodada do Brasileirão. Apesar do revés no clássico, em que o Glorioso sofreu os dois gols nos primeiros sete minutos de partida, o técnico Marcos Paquetá achou razoável a postura de seus comandados. Depois do jogo, o treinador reconheceu a dificuldade de correr atrás do resultado, mas avaliou que o time se portou melhor no segundo tempo e elogiou a “parte mental” dos atletas.

“Sempre difícil sair atrás muito cedo, isso realmente te faz sair para o jogo e buscar o resultado. Se abre e dá os espaços. Tentamos fazer uma marcação, e ela não encaixou. Foi encaixando durante o jogo, mas você fica exposto. Tínhamos que correr riscos”, afirmou o técnico. “No segundo tempo, acho que o time se portou melhor. É um desgaste muito grande. O outro jogo também foi dessa maneira. Intervalo muito curto de recuperação, tem muita coisa para consertar e evoluir.”

“Foram dois gols em dois minutos. Até o emocional fica abalado, mas corrigimos no intervalo. Os jogadores foram briosos, se entregaram no final. O ponto importante foi a luta. [A derrota] amadurece também, a equipe amadureceu, eu amadureci”, acrescentou.

O Botafogo está em décimo lugar na tabela do Brasileiro, com 17 pontos, mas pode perder posições até o fechamento da rodada. Paquetá afirmou que o objetivo do clube é chegar à zona de classificação para a Libertadores. Ainda longe da meta, o treinador acredita que o time precisa parar de tentar tantos cruzamentos.

“Temos que melhorar na saída de contra-ataque. Percebi quando cheguei, temos que melhorar a transição. Tenho uma visão diferente. Temos que ser mais verticais, e é isso que estamos tentando fazer para dar um salto maior”, afirmou Paquetá.

Questionado sobre a chegada de reforços ao Glorioso, o treinador afirmou que a equipe de análise de desempenho do clube está observando algumas peças, mas explicou que concretizar uma contratação é complicado. “Você contratar um jogador hoje não é simples. Vamos ver se encontramos um jogador que possa nos atender.”

Fonte: UOL