Quando o Botafogo passou pela Série B pela primeira vez, em 2003, o zagueiro Sandro fez parte do elenco que ajudou o Alvinegro a retornar à elite brasileira. O pernambucano chegou ao clube em 1999 e não tardou a cair nas graças da torcida. Graças à segurança na defesa e muita disposição para recuperar a bola, Sandro foi um dos jogadores mais destacáveis do time durante o período em que ficou em General Severiano, tornando-se muito querido pelos torcedores.

Atualmente, Sandro trabalha como coordenador-técnico do Santa Cruz. E foi justamente o clube de Pernambuco que impediu o Alvinegro de obter a taça de campeão da segunda divisão de maneira precoce. Isso porque, na tarde de ontem, no Engenhão, o Tricolor do Arruda arrasou o time de Ricardo Gomes por 3 a 0. À noite, o América-MG foi derrotado pelo Paraná por 1 a 0, resultado que, em caso de vitória do Botafogo, daria o título ao Alvinegro. Para Sandro, terminar a Série B com a taça é importante pela história do clube, mas a missão principal já foi concluída: garantir o acesso à primeira divisão.

“Eu acho que o Botafogo consegue mostrar sua grandeza no momento em que ele se classifica faltando três rodadas de antecedência. A Série B serviu pro Botafogo provar isso: o tamanho de sua tradição e de sua camisa. É importante comemorar o título, mas o que fica na memória é mostrar que ‘passei por aqui, estou indo embora, porque meu lugar é na Série A’. Estão de todos de parabéns pelo acesso e agora vamos ficar na torcida pelo título”, afirmou, em entrevista exclusiva à reportagem da Super Rádio Tupi.

De acordo com Sandro, o contexto atual é diferente do de doze anos atrás. No entanto, segundo o ex-defensor, o cenário da Série B que ele encontrou era mais complicada, já que, além dos problemas extracampos, o campeonato era disputado em três fases e somente dois times conseguiam o acesso.

“Cada Série B tem sua dificuldade. Em 2003 era financeira e de estrutura. Hoje, a estrutura é melhor e financeiramente o Botafogo, graças a Deus, se encontra em um momento melhor. Naquela época, só se classificavam dois, hoje são quatro. Havia, também, três fases – a terceira era um quadrangular final, seis jogos que definiam tudo. A dificuldade era muito grande. Neste ano, a dificuldade de disputar 38 rodadas também é difícil. Mas, na minha opinião, a dificuldade em 2003 foi maior. Mas, já falei, conquistar a Série B é bom, mas não vai acrescentar muito na história do clube. O Botafogo tem que almejar título de Série A, aí sim. O que tem que valorizar é o acesso. Esse foi o principal objetivo”, disse.

O Botafogo volta a campo na sexta-feira para enfrentar o ABC, às 21h30. Em caso de vitória, a equipe conquista o título.

Fonte: Super Rádio Tupi