Pequenos devem aprovar turno único para o Cariocão de 2014

Compartilhe:

O turno único, fórmula sugerida pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) para o Campeonato Carioca de 2014, precisa passar por duas etapas para ser aprovado: ter a permissão do Conselho Nacional do Esporte (CNE) e o consentimento dos clubes participantes. Mas se permitida pelo CNE, a tendência é que a mudança seja confirmada. Isso porque ao menos cinco das equipes de menor investimento do estado devem acompanhar Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco e autorizar o formato no Arbitral do dia 7 de outubro.

O voto de cada clube tem um peso diferente de acordo com a classificação final do último campeonato: em ordem decrescente, do peso 16 para o primeiro colocado até o peso 1 para o vice-campeão da Série B, que pega a vaga do último da Primeira Divisão. Juntos, os 12 times de menor expressão possuem 78 votos, contra 58 de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco. Mas cinco já se mostraram de acordo com o novo regulamento: Audax, Nova Iguaçu, Bangu, Friburguense e o recém-promovido Bonsucesso. Se mantiverem a opinião até o Arbitral, os votos do quinteto somados aos dos quatro grandes do Rio representam peso 86 e já serão suficientes para aprovar o novo modelo.

Previsão do Arbitral da Ferj (Foto: Editoria de arte / Globoesporte.com)

– Eu acho que veio a calhar muito bem e a coisa se encaixou. Da Taça Guanabara para a Taça Rio, fica numa semana jogando normalmente os quatro grandes e os pequenos sem fazer nada. Isso dá uma esfriada. Acho que ir direto vai ter uma repercussão boa, vai dar resultado a nível de motivação, ficar ligado o campeonato todo. Vejo com bons olhos, e os pequenos terão que se esforçar para pegar uma dessas quatro vagas – opinou Jânio Moraes, presidente do Nova Iguaçu.

José Ferreira Simões, presidente do Bonsucesso, foi mais um a pedir um campeonato mais enxuto e com o turno único. Mas outros clubes que também devem votar a favor da mudança deixaram claro: só aceitam o formato especificamente para o ano que vem, em função do calendário apertado divulgado pela CBF por causa da Copa do Mundo, que vai do dia 12 de junho a 13 de julho. Bangu, Audax e Friburguense ainda preferem o modelo dividido em Taça Guanabara e Taça Rio.

– É um formato interessante dentro da necessidade de se ajustar ao calendário. Para os clubes menores, a fórmula anterior é bem melhor, mas por uma questão de necessidade pode se fazer um sacrifício. Se a federação e os clubes grandes entendem ser o melhor, o Bangu está aqui para colaborar com o futebol carioca – explicou Jorge Varela, presidente do Bangu.

Representantes do Madureira e da Cabofriense não atenderam as ligações. Já os presidentes de Volta Redonda, Resende e Duque de Caxias, o gerente de futebol do Macaé e o gestor do Boavista preferiram não emitir uma opinião sobre o tema por enquanto. Antes da realização do Arbitral, os clubes de menor investimento geralmente fazem uma reunião entre si para debater as novidades e, normalmente, votarem em conjunto na federação para terem mais peso do que os quatro grandes do Rio.

– Acho que a disputa por pontos corridos é evolução natural dos campeonatos do mundo inteiro, é a mais justa. Mas os clubes pequenos são irmãmente unidos. Nós sempre votamos em bloco e nossa decisão é única. Deve ter uma conversa antes do dia 7 para definir uma posição de ser favorável ou não. O Carioca tem um formato charmoso de dois turnos, até em matéria de publicidade é muito mais legal para quem vende. Mas dentro do cenário não acho a ideia ruim – ponderou João Paulo Magalhães, gestor do Boavista.

Enquanto não acontece o Arbitral, clubes e federação aguardam a posição do CNE sobre o novo formato. A necessidade da aprovação se dá pelo fato de o Estatuto do Torcedor não permitir que se altere a fórmula de disputa de uma competição sem que a mesma seja aplicada por dois anos seguidos. Consultada pelo GLOBOESPORTE.COM, a assessoria de imprensa do órgão informou que ainda não foi notificada oficialmente e por isso não pode se posicionar sobre o caso.

A Ferj pede a mudança para que possa iniciar o estadual apenas no dia 19 de janeiro, contrariando o calendário divulgado pela CBF, que estipulou o início dos torneios regionais no dia 12. Para 2015, o presidente da federação carioca, Rubens Lopes, promete mudanças mais radicais e que, se forem colocadas em prática, devem agradar ainda mais os quatro clubes grandes do Rio. A ideia é que o Carioca seja iniciado no primeiro fim de semana de fevereiro e que haja partidas apenas nos fins de semana.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários