O período sabático de Jefferson está perto de acabar. O goleiro do Botafogo está mais de um ano sem atuar por conta de uma rara lesão no tríceps do braço esquerdo. Depois de duas operações, o experiente jogador vivei o momento mais complicado da carreira.

Próximo de retornar aos gramados, Jefferson concedeu entrevista exclusiva ao Esporte Interativo. Em um bate-papo descontraído, o goleiro de 34 anos falou sobre tudo: aprendizado no período sem atuar, trabalho de Jair Ventura, renovação de contrato e Libertadores.

Você nunca esteve tão perto de voltar. Tem data definida para, enfim, retornar aos jogos do Botafogo?

Verdade. Dar prazo para voltar é difícil. Até porque a gente não sabe como vamos nos sair durante um treinamento.

A torcida do Botafogo está sabendo curtir a Libertadores nas arquibancadas. Olhar isso te deixa orgulhoso?

Muito bonita. Fico orgulhoso. Eu já passei por muitos momentos difíceis aqui no Botafogo. Fico muito feliz por tudo que o Botafogo está fazendo esse ano. Quero voltar para também estar nessa festa também.

Você não é ídolo apenas da torcida do Botafogo. Torcedores de vários clubes te param na rua para desejar um bom retorno aos gramados?

Fico demais. Isso é muito bom. Até porque, dentro de campo, a gente dá o sangue, a rivalidade… Mas fora de campo sei das nossas responsabilidades, respeito todas as equipes. é interesse que esse período que fiquei parado, muitos torcedores me paravam na rua para me motivar. Muitos falavam: ‘Volta logo. Não sou torcedor do Botafogo, mas quero te ver na Seleção de novo’. Me espelho demais em outros goleiros. O Marcos, por exemplo, jogou no Palmeiras, mas é respeitado por torcedores de várias equipes.

O seu contrato vai até o fim do ano. Já iniciaram conversas para a renovação de contrato?

Então, eu estava esperando voltar a jogar para poder sentar com o Botafogo. Eu tenho interesse de permanecer no Botafogo. Graças a Deus voltei bem, sem dores. Agora é a hora de sentar com o clube para saber o interesse deles.

Esse é o momento para você agradecer a todos pelo carinho nesse período longe dos gramados. O que você quer falar?

Galera, quero agradecer, de coração, por tudo que vocês têm me passado. A gente precisa muito do apoio de vocês. Espero voltar bem para ajudar o Botafogo. Obrigado pelo reconhecimento. Isso é muito importante.

Você está sentado na cadeira de número 1. (Todas as cadeiras da sala de coletiva do Botafogo têm número). Bom sinal?

(Risos) Os caras ficam brincando lá dentro: “Essa aqui ninguém pode sentar, porque é do Jefferson”. Isso é legal. O respeito é muito legal.

Fonte: Esporte Interativo