Julgado na tarde desta quarta-feira (28 de setembro) pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o técnico Mano Menezes foi penalizado em duas partidas por chamar o árbitro Rafael Traci de “sem-vergonha”.

O problema ocorreu no jogo contra o Botafogo, no dia 11 de setembro, em derrota do Cruzeiro para o Glorioso, por 2 a 0. Após o duelo, muito irritado com algumas atitudes do juiz durante a partida, na ida para os vestiários, segundo o relato na súmula, Mano teria xingado o trio de arbitragem, chamando de “sem-vergonha”.

Mano foi julgado e enquadrado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), ao “desrespeitar os membros da equipe de arbitragem ou reclamar desrespeitosamente contra as suas decisões”.

O treinador cruzeirense também seria enquadrado no artigo 243-F por “ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto”. Se fosse punido também por isso,o gancho poderia ser maior.

Com isso, Mano não poderá ficar no banco de reservas do Cruzeiro neste sábado (01 de setembro), contra o Grêmio, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.

Outros julgamentos

Por problemas de seus torcedores, que arremessaram objetos no gramado, o Cruzeiro também foi julgado. O clube, no entanto, foi absolvido por apresentar o boletim de ocorrência sobre o fato.

O auxiliar do técnico Mano Menezes foi julgado, também, por xingar o árbitro. Sidnei Lobo pegou gancho de duas partidas por chamar Traci de “burro” e foi enquadrado no artigo 258.

Fonte: Fox Sports