Psicólogo do Botafogo aposta em ‘contágio emocional positivo’: ‘Há propósito maior’

11 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Psicólogo do Botafogo aposta em ‘contágio emocional positivo’: ‘Há propósito maior’
Vitor Silva/Botafogo

Um dos desafios do Botafogo para reagir no Campeonato Brasileiro e sair da lanterna passa pelo psicológico. Este lado tem sido trabalhado pelo técnico Eduardo Barroca, pelo gerente de futebol Túlio Lustosa e pelo psicólogo Paulo Ribeiro.

Neste sábado, o Botafogo enfrenta o Coritiba, às 21h, no Couto Pereira, e precisa de estar bem psicologicamente.

– O que mais importa no momento desse é fazer com que o grupo esteja entendendo que tem um propósito maior a se superar a cada jogo, de acolher o colega, fazer um jogo coletivo. Esse contágio emocional positivo precisa ocorrer dentro de um grupo que passa por uma situação dessa – diz o psicólogo do Botafogo, Paulo Ribeiro.

Com discurso “jogo a jogo”, o Botafogo evita pensar em metas a longo prazo e em outras táticas motivacionais. O clube teve palestra com filosofia do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) sobre companheirismo enquanto Bruno Lazaroni era o técnico, mas não funcionou.

O psicólogo usa a tecnologia para entrar na cabeça dos jogadores.

– O que atrai muito o jogador, principalmente os mais novos, é se comunicar pelo celular. Quando você tem a ideia de um tema e consegue passar para o atleta, a resposta é mais rápida – afirma Paulo Ribeiro.

Fonte: Redação FogãoNET e O Globo

Notícias relacionadas