O treino desta quarta-feira, o primeiro da semana, será leve, como sempre é a reapresentação. Mas o técnico Jair Ventura certamente já está matutando sobre como vai escalar o Botafogo na partida final da temporada. Parece simples resolver os problemas para colocar 11 jogadores em campo contra o Cruzeiro, no domingo, mas não é.

Para começar, o treinador tem quatro desfalques inevitáveis: os titulares Bruno Silva, João Paulo e Rodrigo Pimpão estão suspensos, além do reserva Gilson, que começou jogando no último jogo. Se não vivem a melhor das fases técnicas, a ausência dos atletas minam as opções do treinador alvinegro.

Na lateral esquerda, Victor Luís volta, de maneira até natural. No meio-campo, porém, o problema é gigante. Bruno é o pulmão do setor e não há ninguém com a mesma característica. A substituição automática é a entrada de Matheus Fernandes, que havia se tornado reserva pelo mau momento técnico.

Normalmente mais à esquerda, João Paulo é também ajuda na marcação e auxiliar na criação de jogadas. Sem ele, Marcos Vinícius poderia entrar na equipe. Mas se nem o ex-Cruzeiro nem o chileno Valencia se consolidaram ainda, colocá-los juntos, de início, exigirá grande adaptação tática.

Outras opção, que igualmente exigira mudanças táticas no setor, seria a entrada de Dudu Cearense, adiantando Rodrigo Lindoso. O pouco utilizado Fernandes e Bochecha, que voltou a atuar nas últimas semanas – pelo time sub-23 – após grave lesão no Campeonato Estadual, são outros postulantes.

No ataque, Pimpão deve dar a lugar a Brenner. O centroavante, que é titular pela doença de Roger, não atou contra o Palmeiras por conta de dores no ombro direito, mas deve retornar. O artilheiro do time na temporada não deve estar apto a entrar em campo na última rodada.

Jair Ventura terá dois ou três treinos táticos para ajustar a equipe. Contra a Raposa, a escalação poderá ser Gatito Fernández, Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Victor Luís; Dudu Cearense, Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes e Valencia; Guilherme e Brenner.

Fonte: Terra