R. Marques: ‘Sou grato ao Oswaldo pelo apoio que me deu’

Compartilhe:

O atacante do Botafogo Rafael Marques é muito grato ao técnico Oswaldo de Oliveira. Vivendo um bom momento na carreira e com o clube em segundo lugar no Campeonato Brasileiro, o jogador lembrou, no “Bem Amigos” desta segunda-feira, do apoio que o treinador lhe deu no momento em que chegou a General Severiano e não conseguiu corresponder às expectativas da torcida. Hoje, Rafael é o artilheiro do time na competição, com oito gols.

– O principal para superar esse começo foi a força do Oswaldo. Ele sempre acreditou, sempre apoiou. O grupo também, todo mundo ajuda quando é preciso, com uma palavra ou até mesmo um abraço. Foi fundamental a força que o grupo me deu e, principalmente, o Oswaldo. E lógico a tranquilidade, um pouco que aprendi no Japão, me deu muita calma para enfrentar aquela fase, é um país bem zen. Procurei sempre estar trabalhando e não mudei nem um pouco do que eu era antigamente e poder hoje ajudar a equipe como venho ajudando. Mas, sem dúvida, o principal foi a ajuda que o Oswaldo deu – explicou o jogador.

Rafael Marques, no Bem, Amigos! (Foto: Marcos Guerra)
Rafael Marques lembrou do apoio fundamental de Oswaldo de Oliveira (Foto: Marcos Guerra)

Depois de ficar 21 jogos sem marcar e ter a torcida do Botafogo contra sua escalação, Rafael respondeu as perguntas dos internautas enviadas ao programa de como superou a pressão.

 – Os mais experientes do Botafogo me ajudaram, como o Seedorf, Jefferson, Bolívar e Marcelo Mattos. Lembro que, até eu jogar contra o Boavista, não tinha ido em nenhuma vez para o banco. Estava treinando no terceiro time, trabalhando e procurando meu espaço. E teve uma conversa muito importante deles comigo, eles me disseram: Rafa, a gente precisa de você nesse momento. Estamos acompanhando seu trabalho, sabemos do seu potencial. Isso foi fundamental, mas não posso esquecer do Oswaldo. Ele foi um treinador que me deu muita força, mesmo em momentos ruins. Teve um momento em que se meu nome aparecesse no telão, a torcida vaiava. Eu cheguei em um momento muito ruim do Botafogo, com a saída do Loco Abreu – lembrou Rafael.



Fonte: Sportv.com
Comentários