A quinta rodada do Campeonato Brasileiro será marcada por um reencontro. No próximo domingo, Goiás e Botafogo vão se enfrentar, no Serra Dourada, às 16h. Na Região Centro-Oeste, Renatinho, atualmente no Esmeraldino, duelará diante do Alvinegro, clube que defendeu na última temporada. Ao LANCE!, o atleta falou do momento vivido no Alviverde, afirmando que, por conta de um problema físico, ainda não jogou ativamente no Brasileirão.

– Cheguei ao Goiás com muita expectativa, não só da diretoria, como da minha parte também. Acho que consegui demonstrar um bom futebol durante o Estadual, fiz sete gols e dei algumas assistências. Tive um começo legal assim também no Paraná, em 2017, no meu melhor momento. Acho que, no Brasileiro, tenho grandes chances de dar continuidade a esse trabalho ao lado dos meus companheiros e fazer bons jogos. Apesar de não ter jogado nesse início de campeonato da forma como vinha jogando, até pela pequena lesão que tive, novas oportunidades surgirão e tenho que estar preparado – afirmou.

As lesões, inclusive, foram o calcanhar de aquiles de Renatinho no Botafogo. Após o bom começo, com atuações convincentes no Campeonato Carioca, sob o comando de Alberto Valentim. No primeiro jogo da final do torneio, contra o Vasco, ele fez um dos gols da partida. Porém, o meio-campista sucumbiu aos problemas físicos e não conseguiu engatar uma sequência de jogo, resultando na não renovação do contrato de empréstimo.

– Particularmente, fiquei com um gostinho de não ter feito o meu melhor no Botafogo, mas não por não querer ou não ter capacidade, mas pelas lesões, que me prejudicaram. Não tive uma sequência legal, apesar de estar presente nos principais jogos. Tive o privilégio de ser campeão carioca, o que ficará marcado. Sou muito grato por todos do clube, do tiozinho da grama ao presidente. Não tenho mágoa de ninguém. Almejava coisas maiores lá após o fim do empréstimo, mas talvez, para o Botafogo, meu resultado final não tenha sido o esperado. Mas hoje estou numa outra grande equipe e tenho certeza de que farei um bom ano e crescerei junto com o Goiás – analisou o jogador de 27 anos, que pertence ao Mirassol.

Assim como o Botafogo, o Goiás também convive com o segundo treinador no comando da equipe na atual temporada. Maurício Barbieri iniciou o ano pela equipe esmeraldina, mas, após o vice-campeonato estadual – apesar da média de aproveitamento ter sido positiva – foi demitido. No lugar, a equipe promoveu a contratação de Claudinei Oliveira, que comandou nos jogos do Brasileirão. O meio-campista comentou sobre a demissão do primeiro comandante.

– A equipe ficou triste com a saída do Barbieri, que nos ajudou bastante. Apesar de não termos sido campeões, fizemos um excelente campeonato. Compramos a ideia dele e de seus auxiliares. Ele é muito paizão, acolhedor, sempre buscava animar todo mundo, motivar aqueles que tinham menos oportunidades, para não desistirem e buscarem o seu espaço. É um bom gestor. Mas futebol é isso. Infelizmente, as coisas são dessa forma. Não foi o primeiro e não será o último. Hoje, já estamos com o Claudinei, outro grande treinador. Aos poucos, ele já dá a sua cara ao time, com muita qualidade. O grupo tem assimilado bem. O Goiás tem tudo para colher grandes frutos – indicou.

Recém-promovido após a quarta colocação na Série B do ano passado, o Goiás tem um bom começo de Brasileirão, vencendo duas dos quatro primeiros jogos e somando seis pontos, atualmente na 9ª colocação. Renatinho comentou que o objetivo da equipe é manter esse ritmo e até mesmo sonha com a conquista do título nacional.

– Apesar de muitos acharem que o objetivo do Goiás é o de não cair, para nós, jogadores, a mentalidade não é essa. Sonhamos com título, sim. Não pode ser diferente. Sabemos que é difícil, claro, mas nada é impossível. Não depende apenas de um ou dois bons jogadores, e sim de um elenco e de uma boa gestão. Muitos fatores precisam dar certo, dar liga. Mas nossa equipe está bem esperançosa. Jogo após jogo, vamos criando novas expectativas. Por que não buscar uma Libertadores ou uma pré-Libertadores? Temos que pensar grande. Pode ter certeza de que nenhum de nós no clube almeja apenas a permanência na Série A – completou.

OUTRO REENCONTRO

No Goiás, além de Renatinho, o Botafogo reencontrará outro jogador que estava no elenco do Glorioso em 2018: o zagueiro Yago, titular da equipe comandada por Claudinei Oliveira e que atuou apenas cinco vezes pelo Bota.

Fonte: Terra