Apesar da excelente campanha no Brasileirão da Série B, o empate por 1 a 1 contra o Boa Esporte no Engenhão deixou uma amarga sensação ao Botafogo. Afinal de contas, o time estava há 12 jogos consecutivos triunfando perante sua torcida e vinha de uma sequência de cinco vitórias na segundona. O treinador René Simões valorizou a boa marcação do rival como um fator decisivo para o resultado.
“Levamos o gol aos três minutos por culpa nossa. Depois nos arrumamos e conseguimos jogar. Mas num jogo em que você pega uma marcação bem feita como essa, surgem poucas chances. Tivemos 13 finalizações, sendo que quatro dentro da área. E essas você tem que matar. Como não matamos, deixamos o sistema deles montado o tempo todo. Foi um bom teste para a nossa equipe, que pela primeira vez pegou esse tipo de arrumação do adversário. Tentamos, mas hoje não deu”, disse René, que completou.
“Foi a defesa mais difícil que enfrentamos até agora. Não foi apenas pelo jeito que o adversário estava construído, mas pela marcação individual que foi feita. Por exemplo, o Willian Arão era do Radamés. Nós tivemos três boas oportunidades. Se acertamos, mudamos o jogo. Hoje demos 563 passes, o que é um bom número, mas tem que qualificar. Não adianta ficar só no número, não pode ser só passe lateral. Tem que ser passe com rapidez, para quebrar o equilíbrio do adversário. Hoje tivemos um número maior de erros de passe, foram 16%, quando normalmente são 9% ou 10%. Quando você entrega a bola para o adversário tem que correr atrás”.
Por não estar acostumado a um rival com consistência e solidez no campeonato, o Alvinegro mostrou-se desacertado na hora de quebrar o sistema defensivo do Boa Esporte. Para René, faltou o primordial para furar a defesa: o drible.
“Trabalhar a bola, erra menos passes e jogar em velocidade, com diagonais e viradas de bola. Nosso gol foi marcado nessas condições. É isso que tem de fazer. Conseguimos chegar algumas vezes, mas tem que botar a bola para dentro. Hoje era o jogo para o drible que está faltando ao futebol brasileiro. Aquele drible em que o Messi passa por dois ou três jogadores. Está faltando isso e precisa ser trabalhado para as próximas gerações”, afirmou.
Líder da Série B com 20 pontos, o Botafogo volta a campo no próximo sábado, 27, contra o Macaé, no Moacyrzão, às 16h30. O Macaé está em sétimo e enfrenta o CRB hoje, às 21h, no Rei Pelé.
Fonte: Super Rádio Tupi