René Simões teve uma passagem de sete meses no comando do Botafogo, mas num período para lá de turbulento: foi contratado em 2015 com o intuito de levar o Glorioso de volta à Primeira Divisão. Sem atletas e com os cofres vazios, René conseguiu montar uma equipe modesta para a Série B, com a ajuda do então gerente de futebol Antônio Lopes, mas que cumpriu sua missão e foi campeã. Porém, ele saiu na metade do caminho.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo | Cupom de 10% de desconto


Campeão da Taça Guanabara e liderando a Série B do Brasileiro, René Simões foi demitido após a eliminação para o Figueirense na terceira fase da Copa do Brasil, com direito a gol de letra de Marcão nos acréscimos em pleno Estádio Nilton Santos. Ele disse que até hoje não entende por que foi desligado – ele seria sucedido por Ricardo Gomes.

Queria saber por que fui demitido. Alguém precisa me falar. Fiquei muito chateado, mas não quis passar essa situação do jogo (Figueirense). O Botafogo estava disputando a coisa mais séria, que é a Primeira Divisão. Toda vez em que você não tem um elenco numeroso, é prudente que evite disputar duas competições. Passei essa informação em uma reunião um dia antes do jogo. Falei que não tínhamos elenco para disputar as duas competições. Fiquei muito triste com a derrota, perdemos no último lance. No dia seguinte, meu telefone tocou e era o presidente dizendo que tinha resolvido trocar todo mundo. Falei com os jogadores no treino e fui embora, não dei nem entrevista – afirmou René Simões ao Canal do TF, dizendo não guardar mágoa do presidente Carlos Eduardo Pereira:

– Gostava muito do presidente. Fui a Itaipava com minha esposa jantar com ele. Algumas coisas que ele falou depois não correspondiam, de que havia um planejamento que eu não segui. Que planejamento é esse que nunca me foi mostrado? Teve um momento em que a esposa dele ficou doente, liguei para ele. Não sou de guardar rancor de ninguém. Ele deve ter tido os motivos dele, só gostaria de saber. Até hoje não sei dizer (por que foi demitido). Um dia vai acontecer. Um dia vou saber porque saí do Botafogo.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

‘Sou campeão brasileiro pelo Botafogo’

René Simões disse que se considera campeão brasileiro pelo Botafogo, apesar de ter saído no meio da Série B.

Na minha cabeça fui campeão brasileiro. Aquele grupo montado, todo caminho percorrido… Tanto que recebi telefonemas dos jogadores. O Ricardo (Gomes) mesmo falou: “Não fiz nada diferente, fui só tocando o que o René fez.” Tenho consciência do que eu fiz, que foi muito legal – frisou.

Processo na Justiça contra o Botafogo

O treinador falou também sobre o processo que impetrou na Justiça contra o Botafogo, no qual cobrava direitos por vínculo empregatício, nulidade do contrato de imagem, horas extras, danos morais e indenização pelos prêmios que deixou de ganhar. Ele afirmou que nunca havia acionado a Justiça em 44 anos como profissional do futebol.

– Em 44 anos de profissional, você nunca viu meu nome envolvido em negócio de Justiça. Existem dois lados de um acordo: se eu assino com você um contrato até dezembro e quero que você classifique entre os quatro, para ir à Primeira Divisão. Aí você vai e quebra o acordo. Eu estava liderando o Brasileiro há oito rodadas. Tudo que eu deveria fazer para valer o contrato estava fazendo. Aí de repente você diz assim: “O que tenho para fazer não faço mais, quebrei o contrato”. Meu salário era baixo se comparado a outros, mas tinha um prêmio bom. Se você quebra um contrato comigo, posso quebrar o acordo que tenho com você. Fui ao advogado e disse que exigia receber tudo. Foi para a Justiça, deu ganho de causa em algumas coisas, em outras não deu. Tenho algumas coisas a receber do Botafogo, um dia vai sair, esperando a S.A., sei lá… Fiquei muito chateado, porque fui campeão brasileiro e merecia o prêmio – explicou o treinador

Assista ao vídeo da entrevista com René Simões:

Fonte: Redação FogãoNET e Canal do TF