O Botafogo chegou com moral ao Equador, onde enfrenta[a nesta quarta-feira o Independiente José Terán, pela Libertadores. Líder do grupo 2, o time tenta manter a boa fase precisará da força de seu ataque. O problema é que o rival do Alvinegro terá atenção redobrada com Wallyson, artilheiro da competição continental com quatro gols até o momento.

Em entrevista ao jornal “El Universo”, publicado também na versão online, os jogadores do Independiente José Terán mostram preocupação em como parar Wallyson. Para que o atacante não aumente sua lista de gols na Libertadores, os equatorianos apostam em uma forte marcação no atacante do Botafogo.

“O Botafogo tem jogadores muito rápidos pelos lados. Na frente tem um atacante [Wallyson], que se consegue receber a bola e girar, ou se acertar uma cabeçada, faz o gol. Não se pode dar um centímetro a ele desde o primeiro minuto e, além disso, devemos fazê-lo sentir a marcação”, disse o zagueiro Fernando León.

E o Independiente José Terán, de fato, tem motivos para se preocupar. Nos dois primeiros jogos na Libertadores, a equipe levou três gols – dois deles em sua própria casa. Por outro lado, o Botafogo é, juntamente com o União Española, quem mais fez gols: 3. Portanto, a preocupação dos equatorianos é mais do que justificada.

Lanterna do grupo, o Independiente José Terán precisa desesperadamente da vitória para seguir com possibilidade de classificação para a próxima fase. Até por isso, o duelo desta quarta-feira é encarado com clima de decisão pelos equatorianos. “Só pensamos na vitória e somar mais três pontos”, encerrou o defensor.

Fonte: UOL