Com seis gols no ano, Roger ainda não caiu nas graças da torcida. O atacante admite que deveria ter média melhor, mas justifica o número baixo com a forma de jogar. Segundo ele, em entrevista ao site “Globoesporte.com”, outros aspectos devem ser avaliados.

– Às vezes sou questionado pela falta de gols, criatividade e sempre que posso não uso como defesa, mas como argumento: Eu fugi da minha característica no Botafogo para ajudar. As pessoas sabem que sempre fui um cara de área, de jogar em um espaço curto e perto do gol. Hoje tenho me dedicado e doado pelo time, marcando um volante, segurando a bola para tirar o time de trás… São coisas que as pessoas precisam reconhecer – pede.

Com pensamento de permanecer mais tempo no clube, Roger concorda que o Botafogo precisa de reforços no ataque. O que ele discorda é do excesso de reclamações em relação ao futebol.

– A crítica é válida, eu gosto, mas acho que precisa ter uma justiça maior por uma parte dos torcedores. Não me agrada a média de gols? Não me agrada, mas o que me fortalece são os resultados. Não adianta ser artilheiro com 20 gols e ver o time em situação delicada. Quarta tivemos um revés e tive que escutar que a culpa era minha e do Pimpão. Não é só o meu caso… O Camilo quando joga se doa ao máximo e também não tem esse reconhecimento. Ao longo da temporada o torcedor vai entender – diz.

Fonte: Globoesporte.com