Tempestade e o vice-líder do Argentino como adversário pela primeira partida da fase inicial da Sul-Americana. O Botafogo chegou para o duelo com o Defensa y Justicia, nesta quarta, com um começo de temporada turbulento. Mas, à frente de sua torcida, alcançou a primeira vitória no Nilton Santos em 2019 após perseverar e não se intimidar diante dos embalados rivais.

Erik acertou um lindo chute no último lance do jogo e, com um 1 a 0 no placar, sacramentou o triunfo. O gol veio após um arremate de longa distância, o que se tornou a principal arma do Alvinegro, tendo em visto o gramado prejudicado por conta da forte chuva – embora a drenagem do gramado tenha suportado muito bem ao longo dos 90 minutos.

O que ficou evidenciado, entretanto, é que o setor de criação do time de Zé Ricardo carece de efetividade. Luiz Fernando, que voltou a fazer a função de articulador, esteve apagado e pouco participativo, mesmo que o Botafogo tenha optado por bolas invertidas cruzando as pontas.

– Essa dificuldade de criação incomoda a gente, mas hoje, pelo fator campo, nem gostaríamos de assumir esse risco. O Defensa faz uma forte pressão no meio-campo. A melhor saída era trabalhar pelos lados – comentou Zé, em entrevista coletiva após a vitória.

João Paulo, recém-lesionado, e Luiz Fernando não têm dado a resposta esperada na ausência de Valencia – também fora de combate por questões físicas. Cícero pode assumir a função; Erik, por dentro, contra o Resende, trouxe um alento ao setor. Resta saber o que Zé Ricardo prepará para a próxima quarta-feira, quando o Botafogo visitará o Campinense, pela Copa do Brasil.

Ou seja, outra decisão no radar. Até lá, o torcedor, que também vê Kieza apagado em 2019, esbanja a confiança no sistema defensivo. Com Marcinho, Carli, Gabriel e Jonathan, o Bota sofreu muito pouco com o envolvente ataque do Defensa. Aliás, a dupla de zaga tem sido irreparável nos últimos jogos.

– Sobre a nossa defesa, tanto o Carli quanto o Gabriel vêm bem, mas é um sistema. A equipe toda trabalha para defender. O Defensa jogou na sexta e nós, no domingo. Tiveram dois dias a mais de descanso, normal apresentarem uma condição melhor no fim. O importante foi não desistir.

Com o gol de Erik, o Botafogo zerou o saldo de bolas na rede no ano: marcou seis e levou o mesmo número. O equilíbrio esperado para a equipe de Zé Ricardo deslanchar, no entanto, não é este, mas, sim, através do aprimoramento da criação das jogadas.

Fonte: Terra