A “novela Sassá” está dando o que falar no Botafogo. Em cinco meses, o atacante já foi afastado duas vezes pela diretoria. No início do ano, por atitudes de indisciplina, o jogador chegou a ficar fora de partidas importantes na pré-Libertadores. Mesmo com altos e baixos, o jovem jogador, de 23 anos, é o artilheiro do time no ano, com sete gols (seis em partidas oficiais e um em amistoso).

Para deixar o torcedor ciente de todo o imbróglio que envolve Sassá e Botafogo, o Esporte Interativo fez um passo a passo da história. Confira abaixo!

1º Passo: o começo de tudo

Em 2016, Sassá foi o artilheiro do Botafogo no Campeonato Brasileiro, com 12 gols marcados. Porém, após o time conquistar a vaga na pré-Libertadores, na última rodada da competição, o atacante postou foto em rede social segurando maços de dinheiros. A atitude não foi bem vista pelos torcedores e dirigentes do Alvinegro.

Foto: Divulgação

2º Passo: problema à vista

Com moral pela boa temporada de 2016, Sassá chegou motivado para 2017. Em amistoso diante do Rio Branco-ES, no dia 22 de janeiro, quando o Alvinegro venceu por 4 a 0, o jovem atacante marcou um dos gols. Parecia que o ano começaria como a temporada passada terminou, mas atitudes do jogador fora de campo voltaram a irritar os dirigentes alvinegros e Jair Ventura, que decidiram afastar o artilheiro. Com isso, o atleta ficou fora da lista dos 25 relacionados para a pré-Libertadores.

Na ocasião, Sassá postava, em sua rede social, treinamentos solitários na academia do estádio Nilton Santos.

Foto: Divulgação

3º Passo: proposta russa recusada

Ainda afastado e fora da lista de relacionados na pré-Libertadores, Sassá recebeu proposta do Lokomotiv, da Rússia, no valor de 1,5 milhões de Euros. O Botafogo, por sua vez, rejeitou, planejando em vender o atacante por 3,5 milhões de Euros. Enquanto isso, o jogador seguia a rotina de treinos à parte.

4º Passo: segunda chance

Depois dos representantes de Sassá e dirigentes do Botafogo se reunirem, uma segunda chance foi dada ao jogador, que voltou a ser relacionado no dia 19 de fevereiro, diante do Boavista, pelo Campeonato Carioca. O jogador ficou no banco de reservas e entrou no segundo tempo, mas não balançou a rede.

5º Passo: cortesia do presidente

Mesmo fora dos relacionados para a pré-Libertadores, Sassá embarcou para o Paraguai, onde o Botafogo enfrentaria o Olimpia. O convite foi feito pelo presidente Carlos Eduardo Pereira.

Após a classificação à fase de grupos, Sassá postou foto parabenizando o Botafogo e os companheiros.

Foto: Divulgação

6º Passo: com vontade

Com o Botafogo classificado à fase de grupos da Libertadores, Sassá teve a chance de entrar na partida diante do Estudiantes, da Argentina, no dia 14 de março. O atacante entrou no segundo tempo, quando a partida estava empatada em 1 a 1, e fez a jogada para o gol da vitória.

Foto: Satiro Sodré

Aos poucos Sassá foi recuperando a confiança do técnico Jair Ventura, que chegou a elogiar o atacante, mas disse que o crescimento deve ser diário.

“Bem dura por sinal, mas não posso revelar. A conversa foi bem dura. Ele sabe… Eu tive uma conversa, mas não posso falar o que falei para ele não. A parte de gestão é importantíssima. Tem que saber lidar com tudo. Eu tava arrasado quando o Sassá não tava vivendo um bom momento. é como um filho. Sensação de importância. Fico feliz por ele estar retornando à boa fase”.

Foto: Vitor Silva

7º Passo: homenagem

Tudo parecia bem entre Botafogo e Sassá. No dia 19 de março, o jovem foi homenageado pelo Botafogo. Motivo? Completou 100 jogos com a camisa do Alvinegro. O jogador, que está no clube há oito anos, recebeu das mãos do presidente Carlos Eduardo Pereira placa comemorativa pelo número alcançado.

Foto: Vitor Silva

8º Passo: com moral

Sassá, aos poucos, foi ganhando moral. Fez gol de bicicleta, se tornou artilheiro do Botafogo na temporada e, com isso, caiu nas graças da torcida alvinegra, que pedia o atacante na equipe titular.

Foto: Vitor Silva

Sassá, inclusive, lançou moda: após os gols, o atacante comemorava com a “sarrada no ar”. Na foto abaixo, ele lançou a dancinha junto com o amigo Bruno Silva.

Foto: Vitor Silva

9º Passo: Pedida salarial alta

Em grande fase na temporada, Sassá e seus representantes sentaram com o Botafogo para negociar a renovação de contrato, que vai até dezembro (a partir de julho está livre para assinar pré-contrato). Porém, a pedida salarial do jogador assustou os dirigentes: para estender o vínculo, o jogador pediu R$ 5 milhões de reais de luvas e R$ 300 mil de salário. Os números pedidos por Sassá assustaram o presidente Carlos Eduardo Pereira, que chegou a dizer, ​em entrevista ao Esporte Interativo, que “os números são malucos e não negociáveis”.

10º Passo: problemas antigos

Fora de campo, Sassá voltou a dar dor de cabeça. Na semana passada, o jogador chegou atrasado um dia, fato que irritou Jair Ventura e dirigentes. Com essa atitude de indisciplina e negociação travada, o atleta foi afastado novamente pela diretoria e está fora do jogo diante do Atlético Nacional, pela Libertadores, nesta quinta-feira (18).

Na última terça (16), Sassá foi abordado por torcedores, que fizeram cobranças ao jogador, na saída do treino. Nesta quarta (17), Sassá saiu mais cedo do treinamento pelo segundo dia consecutivo e não se concentrou com a delegação.

11º Passo: futuro indefinido

Não é exagero dizer que a história de Sassá no Botafogo está chegando ao fim. Como os dirigentes descartaram a possibilidade de aceitarem a proposta feita pelo atacante, que estará livre para assinar pré-contrato com outro clube em julho, dificilmente o atacante volta a vestir a camisa que usou durante os últimos oito anos.

A provável saída de Sassá do Botafogo fez alguns clubes brasileiros ficarem de olho no atacante. A reportagem do Esporte Interativo apurou que ​Palmeiras e ​Cruzeiro são clubes que monitoram a situação do atleta.

Fonte: Esporte Interativo