Seedorf cita Giggs como exemplo para se manter em alta

Compartilhe:

O clássico das 18h30 deste domingo entre Botafogo e Vasco marcará a reedição de um duelo bastante equilibrado, pelo menos em terras cariocas. Próximos dos 40 anos, os ‘vovôs’ Seedorf e Juninho Pernambucano se preparam de maneira diferente para resistirem a disputa da temporada que terá o 4º confronto entre os dois, marcado para o Maracanã, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Mesmo tendo em comum os cuidados com o físico, a dupla diverge na maneira como encara a maratona de jogos do futebol brasileiro. Aos 37 anos, Seedorf procura participar de todos os compromissos do Alvinegro, enquanto Juninho, aos 38, limita suas atuações aos confrontos mais importantes do Vasco – caso do clássico deste domingo -, sempre com apoio da comissão técnica do clube.

Embora tenha gozado de férias maiores que seus companheiros de Botafogo, por exemplo, Seedorf é conhecido pela dedicação profissional. O atleta chega a levar cartilhas produzidas pela comissão técnica alvinegra em seus períodos de descanso para manter a excelente forma física que exibe apesar da idade.

“O Ryan Giggs tem 39 e está jogando direto no Manchester United, como titular. Quem se cuida, trabalha e tem prazer de fazer o que faz, vai longe. Mas tem que ter prazer. Só treinando se consegue manter a forma. E fora de campo devemos ter cuidados”, ressaltou Seedorf. “No Brasil tem eu, Juninho, Zé Roberto, Alex… Muitos atletas que se cuidaram e hoje jogam com idade avançada”, completou.

Juninho Pernambucano também não economiza esforços em treinos e nos cuidados fora dos campos, mas procura escolher os jogos em que irá atuar. Na quinta-feira, por exemplo, o camisa 8 não enfrentou o Goiás. O atleta repete a programação que utilizava no clube no último ano, antes da rápida passagem pelo New York Red Bulls.

As diferentes estratégias têm seus prós e contras. Se tem participado com mais frequência – e sendo muito útil – nos jogos do Botafogo, Seedorf mostrou bastante cansaço no final do clássico contra o Flamengo, no final de semana passado. Já Juninho fez falta ao Vasco no empate por 1 a 1 com o Goiás, na última quinta-feira, quando foi poupado para o confronto com o Alvinegro neste domingo.

O duelo entre os dois no Rio de Janeiro tem números parelhos. Com as camisas de Botafogo e Vasco, os jogadores se enfrentaram em duas ocasiões, com uma vitória para cada lado, em 2012. Antes, porém , o retrospecto era amplamente favorável a Seedorf.

O holandês eliminou Juninho nas quartas de final da Liga dos Campeões, além de ter participado efetivamente do triunfo do Real Madri na final do Mundial de 1998, dando o passe para o gol de Raul. Naquela partida, o camisa 8 do Vasco marcou o único gol cruzmaltino na derrota por 2 a 1.

Fonte: UOL

Comentários