Seedorf pede calma a ‘fenômenos da mídia’: ‘Cadê Rafinha?’

Compartilhe:

Neste Campeonato Brasileiro, muitos veteranos são destaque e têm sido referência de seus times, como Alex, do Coritiba, Zé Roberto, do Grêmio, e Juninho, do Vasco. O Botafogo também tem o seu: Seedorf. Aos 37 anos, o craque holandês gosta de compartilhar os ensinamentos que adquiriu ao longo dos 21 anos de carreira.

Ele citou outro veterano bom de bola, o meia Ryan Giggs, do Manchester United, e comentou sobre qual acredita ser uma boa receita para a longevidade.

– Gosto de dar o exemplo do Ryan Giggs, que tem 40 anos (na verdade, tem 39) e está jogando direto. Ele se cuida, tem prazer de fazer o que faz. Nos treinos, o jogador tem que manter a forma. Fora do campo, tem que se cuidar. E não adianta começar só aos 30 anos. É importante saber o que se deve fazer para uma melhor performance. Alimentação, dormir bem, tomar café, tudo faz parte para você entrar bem ou não no jogo. Se você come demais ou pouco, faz diferença – ensinou.

Seedorf comentou sobre as revelações do Brasil e a forma com que cada um amadurece em uma velocidade diferente. O holandês deu como exemplo o flamenguista Rafinha, que iniciou o Carioca como sensação e teve uma queda de rendimento, e o seu ex-companheiro Alexandre Pato, que foi muito novo para o Milan e teve dificuldades de lidar com a grande pressão.

– Tem gente que aprende rápido ou demora. Quando o rapaz tem talento, ele passa por cima de todos na base, mas depois encontra jogadores mais experientes e vai se adaptando. Onde está o Rafinha agora? Ele não era o fenômeno da mídia? Não acho que ele não tem talento. Tem, sim, mas demora. O Pato foi para a Itália, e colocaram muita pressão. Ele não estava pronto. A mídia tem responsabilidade, deixa crescer. Quando o jogador estiver pronto, ele vai estar pronto. Precisa dar tempo ao garoto para ele explodir numa situação adequada.

No seu dia a dia, Seedorf está sempre cercado de jovens, como Dória, Gabriel e Vitinho, e tem como costume conversar com os jogadores para auxiliar com sua experiência.

Apesar do vigor físico, Seedorf saber que não suportará a maratona de jogos do Brasileiro. Para o meia, nem os mais jovens vão conseguir, e será necessário uma rotação no elenco.

– Será necessário para todos. Não tem quem jogue 20 jogos na quarta e no domingo. Com certeza teremos que rodar. Vamos entrar em uma sequência grande, e não tem como manter o nível físico alto. É importante pontuar ao máximo porque teremos de mudar peças.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários