Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Sem dinheiro e sem técnico: eliminação aumenta pressão no Botafogo

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Honda - Cuiabá x Botafogo - Copa do Brasil
Reprodução/SporTV

A eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil, para o Cuiabá, aumenta a pressão no Botafogo, que vive dias de turbulência e incertezas. Alvos de recentes protestos, elenco e diretoria voltaram a estar na mira de reclamações por parte dos torcedores.

O adeus à competição nacional fez com que o Glorioso, que passa por crise financeira, deixasse de conquistar de R$ 3,3 milhões. Além disso, a cúpula está em busca de um novo técnico e esbarra em obstáculos impostos pelo mercado da bola. Hoje (4), completa-se uma semana da demissão de Bruno Lazaroni do cargo, e o clube de General Severiano aguarda uma definição quanto à proposta apresentada ao venezuelano César Farías, atualmente na seleção da Bolívia.

A Federação Boliviana de Futebol indica que o comandante permanecerá na seleção, com a missão de classificar a equipe à Copa do Mundo de 2022. O Glorioso, porém, espera um posicionamento oficial para estudar os novos passos. Caso o acerto com Farías não se concretize, o Alvinegro terá de voltar à carga e analisar opções para a vaga.

Alexandre Gallo e Ramon Menezes, ex-Vasco, foram nomes que chegaram a estar em pauta, mas que enfrentaram a rejeição da torcida.

Enquanto isso, o preparador de goleiros Flavio Tenius comanda a equipe de forma interina e, domingo, diante do Bahia, pode fazer a terceira partida consecutiva.

Nos bastidores, uma eleição que se aproxima e promete agitar o clube. Trocas de acusações e pedidos de impugnações de chapas movimentaram os corredores nos últimos dias, fazendo com que o clima no clube tenha se tornado ainda mais bélico.

Rafael Forster discute com torcedor

Ainda na noite de ontem (3), uma imagem que circulou nas redes sociais mostrou uma discussão entre o zagueiro Rafael Forster e um torcedor. Em uma conversa em rede social, o jogador rebateu um alvinegro e indicou que há membro do elenco “que não recebe salário completo desde junho”.

“Amigão, você queria o quê? Que eu saia driblando todo mundo? Que eu chutasse no gol? Porra, para de encher o saco! Chato pra caralho? Não entende porra nenhuma de futebol e sai falando mal dos outros. Tu não sabe de nada e ainda quer falar de salário em dia?! Tu tá de sacanagem? Tem jogador que não recebe salário completo desde junho. O mês de outubro veio adiantado para alguns, queridão. Você não sabe de porra nenhuma. Então, para de falar merda e vai cuidar da tua vida”, escreveu Forster.

Na atual temporada, o Botafogo conviveu com salários atrasados a elenco e funcionários. Através de verbas liberadas em operação junto ao Sindeclubes, pagou outubro alguns dias antes do previsto ao elenco e o quadro do clube. A informação foi divulgada, inicialmente, pela Rádio Tupi.

Recentemente, em entrevista coletiva, Carlos Augusto Montenegro, membro do Comitê Executivo de Futebol, indicou que a diretoria teria como assegurar salários em dia, ao menos, até o fim deste ano.

Fonte: UOL

Notícias relacionadas
Comentários