Sem dormir, Hyuri relembra golaço e sonha alto: ‘Limite é céu’

Compartilhe:

“Não haveria estreia melhor que essa”. Com essas palavras o atacante Hyuri resumiu logo no começo de sua entrevista coletiva como se sentia pouco menos de 24h após debutar com a camisa do Botafogo. Aos 21 anos, o ex-jogador do Audax marcou dois gols no triunfo por 3 a 1 diante do Coritiba, na noite de quinta-feira, no Maracanã, e virou alvo dos jornalistas após o treinamento desta sexta. Evitando a euforia, mas sem conseguir esconder o sorriso no rosto a cada resposta, o jogador afirmou ter metas ousadas na carreira.

– O limite é o céu, são títulos que estão por vir. Estou tendo essa oportunidade muito cedo, de ter contato com jogadores experientes, que me passam muita confiança. Isso está sendo muito importante para mim – disse o atacante, contratado por empréstimo até o fim do ano.

Hyuri roubou a cena na vitória alvinegra não só pelos dois gols, mas, principalmente, pela forma como marcou o segundo. No lance, se livrou de quatro marcadores, deu um giro sensacional dentro da grande área e fez um golaço no Maracanã.

– Foi um lance de improviso. Não tem como mentalizar um lance daquele antes. Dei um tapa na bola, fui driblando e, quando vi, o gol estava na minha frente.

O atacante admitiu que mal conseguiu dormir após a partida. Leu jornais e assistiu a programas esportivos nesta manhã de sexta-feira. A todo momento, repetia que só conseguiu estrear tão bem por conta do respaldo que recebe dos companheiros mais experientes.

– Não haveria estreia melhor que essa. Fico feliz, agradeço ao grupo que me deu tranquilidade, me passou muita confiança. Não fosse isso, eu não teria feito essa estreia.

Hyuri comemoração do Botafogo contra o Coritiba (Foto: Satiro Sodré / SSPress)
Hyuri deu a receita para estreia de sucesso: a confiança do grupo (Foto: Satiro Sodré / SSPress)

Ao chegar em casa após a partida, comemorou com a família, repleta de torcedores do Botafogo, e alguns amigos. No entanto, se assustou com o assédio nesta sexta-feira e desligou o celular. Também quase caiu da cadeira ao ser questionado por um jornalista se havia baixado o espírito do Garrincha durante o jogo.

– Essa comparação não pode existir, não. Não dá. Sem palavras para falar do gênio que era o Garrincha. Tive espaço, fui entrando, mas não encarnou espírito nenhum – disse, rindo.

O atacante deverá ser titular novamente na partida deste domingo, contra o Criciúma, às 18h30m, em Santa Catarina, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. O Botafogo tem 33 pontos e está na terceira colocação do nacional, quatro pontos atrás do Cruzeiro, que lidera o torneio.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários