O Botafogo se precipitou ao renovar o contrato de direitos de transmissão de seus jogos com a Rede Globo antes de esperar para ver como ficaria toda a situação envolvendo o Esporte Interativo. Agora, a emissora que detinha a exclusividade na exibição das partidas nos canais fechado já admitir dividir as transmissões com o EI.

O Glorioso, por sua vez, não foi o único a aceitar o acordo. Corinthians, São Paulo, Grêmio, Atlético-MG, Cruzeiro, Fluminense, Vasco e Sport também o fizeram por motivos próprios. No caso alvinegro, o presidente do clube, Carlos Eduardo Pereira, já ressaltou que não recebeu nenhuma proposta do Esporte Interativo e, por isso, fechou com a Globo.

“Primeiro que o Botafogo jamais recebeu qualquer proposta da Esporte Interativo. Segundo, a Esporte Interativo concorre com apenas uma das mídias, o espaço da TV fechada, o que seria equivalente ao SporTV. O Premiere, a internet, TV aberta, tudo isso fica fora desse contrato. Muito do que se fala é da especulação a qual não sei a quem atribuir. O Botafogo consultou seu Conselho Deliberativo e renovou com a Globo em 2018 e 2019 em todas as mídias. O Botafogo precisa de recursos de todas as formas, em algum momento iríamos rejeitar uma oferta só porque preferimos outra rede? Não faz nenhum sentido isso”, disse o mandatário à Rádio Botafogo Oficial no mês passado.

Contudo, o cenário da época indicava que, em algum momento próximo, o Fogão seria oficialmente contatado pelo EI, cujos valores poderiam ser melhores do que os recebido atualmente. Ainda que tal conjuntura fosse uma possibilidade, havia razão para crer nisso, principalmente após essa possibilidade ambas as emissoras dividirem a transmissão, o que não só mostra a força com que chegou o Esporte Interativo, mas que também os acordo financeiros entre clubes e TV’s tende a ser cada vez mais rentáveis para as equipes de futebol. Neste sentido, a paciência é um ponto positivo e que pode fazer a diferença.

Fonte: Torcedores.com