O corpo de Valdir Espinosa foi enterrado na manhã de hoje (28), no Rio de Janeiro. O velório aconteceu ontem (27), em General Severiano, sede do Botafogo, clube onde ele estava trabalhando.

Valdir Espinosa estava na função de gerente de Futebol do Alvinegro desde dezembro e havia se licenciado há cerca de duas semanas para a realização de uma cirurgia na região abdominal. O quadro de saúde, porém, sofreu pioras nos últimos dias.

A cerimônia teve a presença de alguns nomes conhecidos do futebol, como o ex-volante Carlos Alberto Santos, o ex-atacante Sorato, o ex-presidente do Botafogo Maurício Assumpção, Thiago Coimbra, ex-jogador e filho de Zico, Rodrigo Caetano, diretor-executivo do Internacional, e o ex-jogador Roger, que atualmente é comentarista do Grupo Globo.

Banner da loja do FogãoNET para faixa japonesa

Carlos Alberto Santos fez parte do time do Botafogo que foi campeão do Carioca de 1989, título que encerrou um jejum de 21 anos. Espinosa foi o treinador que levou o Alvinegro à conquista.

“Além de um profissional muito competente com quem trabalhei, ficou uma amizade muito forte. uita consideração, não só ao profissional, mas com o humano Espinosa. Por onde passou, ele conseguiu arrebatar o coração de todos. Minha presença aqui é para estar junto à família. Também me sinto parte da família dele”, disse.

O ex-jogador considera que a ligação de Espinosa com o Alvinegro “não foi por acaso”.

“Acho que a ligação com o Botafogo não foi por acaso. A Estrela Solitária apontou o dedo e fez com que ele viesse para o Botafogo. Ninguém melhor que ele poderia vir. A presença dele foi a certeza de que o título aconteceria. Ele foi impecável”.

Assim como Espinosa, Rodrigo Caetano também começou no futebol no Grêmio e foi justamente sob o comando dele que teve as primeiras oportunidades.

“Tive a honra de ter trabalhado com ele. Ele foi o responsável por me dar a primeira oportunidade como titular, no início da década de 90. Mantivemos a relação, que se estendeu para o lado pessoal. É uma perda que nos deixa tristes, mas que deixa um legado imenso para o futebol brasileiro. Principalmente, em como se relacionar com as pessoas. Era uma liderança simples e carismática”, afirmou.

Além disso, a atriz Taís Araújo também esteve no local. A família de Tais e a de Espinosa já moraram no mesmo condomínio.

Fonte: UOL