A vitória do Vasco, no domingo, já havia sido ruim. Com a derrota para o Palmeiras, nesta segunda-feira, o Botafogo consolidou a saída do G7, e precisará trabalhar a ansiedade de não depender só de si antes e durante a partida contra o Cruzeiro, no próximo domingo, na rodada final do Campeonato Brasileiro.

– Temos mais um jogo em casa para conseguirmos nossa classificação. Assim como contra o Grêmio, no ano passado, conseguimos a vaga na última rodada. Temos chances ainda – avisa Jair Ventura.

O treinador do Glorioso lembrou da vitória sobre o Tricolor Gaúcho, na última rodada do Brasileirão. Igualmente, a equipe não vivia uma boa fase. A grande diferença é que, ao final da 37ª rodada do torneio de 2016, Alvinegro estava em quinto lugar, dentro da zona de classificação à Libertadores.

Desta vez, a pressão está maior. Aliás, maior como nunca esteve com Jair Ventura. Maior como Rodrigo Pimpão talvez não entenda, como ele mesmo disse no programa “Bem Amigos”, do canal de televisão por assinatura Sportv.

– Todos nós fomos cobrados. Teve torcedor no treino, no aeroporto, e estávamos na sexta posição. É difícil. Estávamos acima do esperado de todos, e estamos lutando. Nós nos reunimos após derrota e o clima nunca é bom. No outro dia, conversamos, resolvemos e segue a vida. Mas o futebol tem isso. O torcedor, em vez de apoiar em momento difícil, vem criticar. Eu mesmo, depois do que fiz na Libertadores, fui cobrado. Mas vamos levantar a cabeça e conseguir a classificação – garante.

Mas nem Pimpão, nem João Paulo, nem Bruno Silva, nem Gilson poderão jogar. Suspensos, eles farão o treinador quebrar a cabeça para escalar a equipe no jogo contra a Raposa, no próximo domingo. A delegação alvinegra chega ao Rio nesta terça-feira e retoma os trabalhos nesta quarta.

Fonte: Terra