Carli e Gabriel se consolidaram como a dupla de zagueiros titular do Botafogo desde o começo da temporada. Seja com Zé Ricardo, Eduardo Barroca ou Alberto Valentim, a combinação entre o argentino e o brasileiro foi a primeira opção para a defesa do Alvinegro. Atrás, estava Marcelo Benevenuto, alternativa imediata para os dois.

O jovem criado nas categorias de base do Botafogo foi colocado em situações delicadas durante todo o ano. Sempre tendo que substituir Gabriel e Carli quando um estava lesionado ou suspenso, Marcelo já acumula 29 partidas em 2019. Ultimamente, o zagueiro vem aparecendo como um dos destaques da equipe comandada por Alberto Valentim, que deverá fazer uma decisão chave para o jogo contra a Chapecoense, na próxima quarta-feira: Benevenuto ou o defensor argentino na equipe titular.

Marcelo Benevenuto foi titular nas últimas duas vitórias do Botafogo no Campeonato Brasileiro, contra CSA e Corinthians. Contra o Timão, o zagueiro contribuiu com 12 cortes, três chutes travados, duas interceptações e teve um aproveitamento perfeito nos duelos aéreos, sendo um dos destaques na vitória por 1 a 0. Os números foram retirados do site “Sofascore”.

– Marcelo fez uma partida muito segura, firme, levando perigo também no ataque, muito firme nas bolas aéreas e nos confrontos individuais. Ele tomou um tostão na coxa e nos preocupou no primeiro tempo, até pedi ao Kanu que se aquecesse, mas não foi nada grave, ainda bem. Agora vamos avaliar para decidir sobre quarta (quem joga contra a Chapecoense) – afirmou Alberto Valentim, após a partida.

Joel Carli é o capitão do Botafogo, um dos líderes do elenco e tem história no Alvinegro desde que chegou, em 2015. Apesar da pouca mobilidade, se destaca pelo posicionamento e poder de jogo aéreo. Mesmo suspenso, esteve no Nilton Santos para ajudar os jogadores antes da partida. Assim como Marcelo, também fez 29 jogos na temporada.

Marcelo é o jogador do Campeonato Brasileiro com a maior média de cortes pelo alto por jogo – levando em consideração apenas atletas com, pelo menos, dez jogos na competição. O camisa 14 fez 111 rebatidas em 13 partidas, o que dá a média de 8.5 intervenções pelo ar por duelo disputado – os dados foram tirados do portal “Footstats”. Em um duelo individual contra Everaldo, atacante da Chapecoense e um dos artilheiros do torneio, isto pode pesar.

Entre o capitão experiente e o jovem em ascensão, Alberto Valentim terá que fazer uma decisão fundamental para decidir quem será o parceiro de Gabriel na dupla de zagueiros contra a Chapecoense. O Botafogo, com 39 pontos e na 14ª colocação, vê o duelo como fundamental na luta para fugir da zona de rebaixamento.

Fonte: Terra