O Botafogo encontrou uma imensa dificuldade de criar e envolver o Vitória no último domingo, em casa, pelo Campeonato Brasileiro. E, em meio à pressão dos baianos, Gustavo Bochecha recuou uma bola do meio-campo, na casa dos 30 minutos do primeiro, viu Jefferson se atrapalhar e os visitantes abrirem o placar. Pronto, ali estava decretado o início das vaias ao jovem volante.

Titular com a ausência de Renatinho (lesionado), Bochecha foi sacado no intervalo para a entrada de Aguirre. Segundo Alberto Valentim, a troca nada teve a ver com a pressão ou fraco rendimento de Gustavo, mas, sim, por conta de uma alteração do desenho tático, mais ofensivo (do 4-3-3 para o 4-2-4).

– O Gustavo (Bochecha) é um garoto de muita personalidade. O Márcio (lateral) foi vaiado lá atrás e hoje deu a volta por cima, bestá muito bem, liderando as assistências do Brasileiro. O jogador que atua em time grande precisa ter a consciência disso. Fiz substituição tática. Não mexi pelo Gustavo estar mal ou não, só quis mudar o desenho inicial, que não vinha dando certo – explicou.

Aos 21 anos e campeão brasileiro sub-20 pelo Glorioso, Bochecha soma dez partidas pelos profissionais do clube carioca. Ao todo, foi titular em quatro oportunidades este ano – todas sob o comando de Valentim.

Fonte: Terra