Vanderlei Luxemburgo não poupou Botafogo e Palmeiras em entrevista concedida ao Terra nesta quinta-feira. Ao defender que o Campeonato Brasileiro tenha menos que quatro rebaixados por temporada, o atual técnico do Flamengo criticou a administração recente dos dois clubes, que ocupam a parte de baixo da tabela do torneio nacional – os cariocas já estão na Série B do próximo ano, enquanto os paulistas buscam fuga na última rodada.

“Cai muito, é uma coisa que já falei com o Marco Polo (del Nero, futuro presidente da CBF), que é meu amigo. Esse (menos rebaixados) é um dos pontos que não sei se a televisão vai deixar, mas o Brasileiro é o único campeonato em que 20% dos times caem. Sou a favor de dois e mais um terceiro que disputaria repescagem. O Botafogo e o Palmeiras merecem a segunda divisão porque vêm fazendo bobagem há muito tempo. Então caíram, caíram. Além disso. uma coisa é você ter um time médio ali embaixo e outra é você ter a cobrança no São Paulo, no Corinthians, no Flamengo, no Grêmio. As próprias perguntas dos jornalistas são diferentes”, disse Luxemburgo.

Na edição de 2014 do Campeonato Brasileiro, o Botafogo já está rebaixado e o Palmeiras precisa de vitória na última rodada para ter certeza que não voltará à Série B em 2015 pela terceira vez. Recentemente, o goleiro Fernando Prass, do time alviverde, viu-se envolvido em polêmica ao admitir que já recebeu mala branca no futebol – foi absolvido em julgamento que poderia pegar dois anos. Luxemburgo detonou a prática e disse que mala branca é incompetência.

“É uma grande bobagem. Sou muito contrário a isso. Mala branca nada mais é que uma incompetência. Se o Palmeiras, por exemplo, manda dinheiro para alguém, é incompetência. Eu não aceito mandar para cá ou mandar para fulano. Eu não aceito mandar dinheiro porque vai dar demonstração de como somos incompetentes”, comentou o treinador.

Flamengo de 2015: longe da “zona da confusão”?

Em 2014, Luxemburgo assumiu o Flamengo em situação ingrata, com o time ameaçado de rebaixamento. O saldo da passagem do técnico foi positivo, já que a equipe rubro-negra ficou longe de passar sufoco na reta final da competição. Para 2015, o comandante, de contrato renovado, quer algo melhor do que a briga na parte de baixo.
publicidade

“Você fica chateado porque não quer só ficar saindo da ‘zona de confusão’, como falei. Mas como objetivo para 2015 já tem uma base pronta. O grupo é muito bom, fizemos um almoço de confraternização e a gente percebe que está tudo bem quando vai todo mundo. Então foram todos os atletas, todo o staff, sem exceção. Sinômino de que houve uma sincronia no trabalho”, falou.

Fonte: Terra