Não é de hoje que o Botafogo flerta com Alan Santos. O clube avalia a chegada do volante desde a comissão técnica de Jair Ventura, que comandou o time entre agosto de 2016 e o fim de 2017. O fato é que, nesta semana, o negócio esquentou, e o Tigres-MEX, aceitou emprestá-lo ao Glorioso até o fim de 2019. Pequenos detalhes burocráticos atrasam o anúncio oficial.

Para o botafoguense que está ressabiado quanto ao novo reforço, o LANCE! traz opiniões de duas figuras que conhecem bem Alan Santos. O primeiro trata-se do treinador e antigo auxiliar-técnico Pachequinho, que trabalhou com o meio-campista de 27 anos durante três temporadas (2015, 2016 e 2017).

De “versátil” a “muito bom nas bolas aéreas”, as palavras de Pachequinho tendem a empolgar o torcedor alvinegro.

– O Alan é um segundo volante, destro, tem boa qualidade técnica e é muito bom nas bolas paradas defensiva e ofensiva, além de ser versátil. Pode jogar até mais avançado, como um meia, pois tem qualidade para fazer essa função, assim como pode atuar de primeiro volante – salientou, completando:

– Ele se adapta fácil a todas as posições do meio e tem uma leitura tática muito boa. Comigo no Coritiba, sempre foi titular e utilizado como segundo volante. Inicia a construção muito bem, verticalizando, buscando os meias e os atacantes, além de sempre se aproximar da área. Tem recurso para ser o elemento surpresa e para finalizar. O Botafogo fez uma grande aquisição, já que ele vai acrescentar demais, tanto no quesito técnico, quanto na marcação. Também posso dizer que o Alan tem uma liderança nata e que se cuida muito.

O outro ouvido pela nossa reportagem foi Osmar Antonio, repórter e apresentador da Rádio Banda B, de Curitiba. O jornalista apontou o ano de 2017 como o melhor de Alan em relação a rendimento – na última temporada, marcada pela queda à Série B do Brasileiro, Pachequinho teve a maior sequência como treinador no Coxa, e não como interino.

– (Alan Santos) É um jogador que teve uma passagem muito positiva pelo Coritiba. Chegou quando o técnico era o Marquinhos Santos, em 2015, e fez uma boa temporada. Na metade de 2016, teve uma lesão no pé e ficou três meses parado, quando ainda estava em alta. Se firmou em seguida, depois de mais algumas pequenas lesões, e, em 2017, teve o seu melhor ano pelo Coxa. Ao todo, fez 99 jogos e marcou oito gols. É um jogador que aparece bastante na área do adversário, tem a assistência e finaliza bem de longa distância. Ajudará muito o Botafogo se repetir as atuações por aqui – opinou Osmar.

MAIS DA CARREIRA DE ALAN SANTOS

Na última segunda-feira, Alan Santos chegou de viagem dos Emirados Árabes Unidos para ir a General Severiano e finalizar o empréstimo. Nos EAU, atuou pelo modesto Al Ittihad Kalba no último semestre.

Os primeiros passos de Alan Santos foram nas categorias de base do Vitória, que o negociou com o Santos, em 2009, ainda antes dele ter estourar a idade para o time sub-20. Deixou a Vila Belmiro após a temporada 2014. Contratado pelo Coritiba, ficou três anos no Couto Pereira antes de rumar para o México – por lá, vestiu as camisas de Tigres e Veracruz. Por falar no Tigres, só resta a liberação documental dos Auriazules para a oficialização do negócio.

Fonte: Terra