Jair Ventura não é um daqueles técnicos que mexem no time rodada após rodada. Uma de suas armas tem sido justamente a manutenção da equipe, e o torcedor mais atento sabe de cór a escalação do Botafogo — exceto pelo último nome, que pode ser o de Sassá ou o de Rodrigo Pimpão.

Entre lesões, suspensões e escolhas táticas, os dois têm se revezado no ataque, ao lado de Neilton. Titular no clássico com o Flamengo, no sábado passado, Pimpão tem como trunfo a versatilidade. Naturalmente um jogador de lado de campo, ele também se sente à vontade como o 9.

— Na linha de frente, um pode fazer a função do outro. Já joguei de centroavante em outros clubes por onde passei — explica Pimpão.

Na quarta-feira, às 19h30, contra a Chapecoense, Jair Ventura não terá essa dúvida. É que Sassá cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Pimpão, então, terá uma nova chance de provar seu valor. A última impressão não foi das melhores — perdeu chance clara nos minutos finais do clássico.

Durante os dez dias sem jogos, o Alvinegro tem realizado treinamentos específicos para o confronto com os catarinenses. E Pimpão sabe que os rivais também estarão de olho no Botafogo:

— Estamos há sete jogos sem perder. Vemos que as outras equipes estão estudando a gente. Há dois jogos que não fazemos gols, e estamos tentando melhorar.

Jogo-treino e aliança

O Botafogo continuou sua preparação para a partida contra a Chapecoense com um jogo-treino, na sexta-feira, diante do Bangu, na Arena na Ilha do Governador. A atividade teve três tempos e, em cada um deles, uma formação diferente foi usada pelo técnico Jair Ventura. Os titulares abriram o placar com Neilton, mas seus substitutos não mantiveram o nível, e o Bangu levou a melhor : 3 a 1.

Quem não participou do jogo-treino foi o volante Airton. Ele se casou na sexta-feira e foi liberado também do treinamento de sábado, para aproveitar uma breve lua de mel.

O cabeça de área voltará aos treinos, com o restante do elenco, no domingo, em General Severiano.

Fonte: Extra Online