Vetado em Flu e Vasco, Hyuri nega ‘reencarnação de Garrincha’

Compartilhe:

Em seu primeiro jogo pelo Botafogo, Hyuri ganhou a torcida ao marcar duas vezes e ser decisivo na vitória por 3 a 1 sobre o Coritiba, no Maracanã. Após o jogo, alguns torcedores mais animados chegaram a dizer que o segundo gol marcado, quando se livrou da marcação de três adversários foi uma reencarnação de Garrincha, um dos maiores ídolos do futebol brasileiro.

Humilde e sensato, Hyuri ficou até sem graça ao escutar a pergunta. O atacante, recém-contratado junto ao Audax, não parou de rir por aproximadamente um minuto e ainda teve que aturar as brincadeiras de Dória, que estava ao seu lado. “Que isso hein?”, disse o zagueiro gargalhando.

“Isso ai não pode existir não. Pode não [risos]. Dispenso comentários. Tenho nem palavras para falar desse gênio que era o Garrincha. Fui entrando driblando e quando vi estava de cara para o gol”, disse.

Mais tarde, quando estava apenas conversando com alguns jornalistas, ele brincou que tem medo de espírito e disse que não gostaria nem de pensar no espírito de Garrincha. “Deus me livre”, afirmou fazendo o sinal da cruz. “Acredito e Deus e até vou na igreja em algumas vezes. Agora com jogos fica mais difícil”.

Se o espírito de Garrincha assusta o jovem de 21 anos, o belo gol marcado, por outro lado, arranca sorrisos. Ele admite que a jogada foi muito bonita, mas diz que ainda não sabe se é um dos mais bonitos desde a reinauguração do Maracanã, durante a Copa das Confederações.

“Foi um bonito gol. Fica essa questão para vocês responderem. Podem fazer uma votação, sei lá. Até conversei com o Dória que foi de improviso. Dei um tapa, fui driblando e quando vi o gol estava na minha frente. Fica para vocês escolher ser eleito o gol mais bonito”, comentou.

Teste recusado em Fluminense, Vasco e Madureira

Como muitos jogadores, Hyuri também passou por dificuldades até chegar ao Botafogo. Ele revelou que alguns clubes o recusaram em testes. Além de equipes grandes, até mesmo o Madureira descartou a possibilidade de contratá-lo.

“Meu inicio foi jogando pelada, como todo brasileiro. Tentei alguns clubes. Tentei no Vasco, mas não deu. Depois fui no Flu e fique pelo caminho, assim como no Madureira. No Sendas, que virou Audax, é que deu certo. Entrei no juvenil lá. Essa trajetória está sendo importantepra mim”, afirmou.

Após brilhar na estreia, Hyuri sabe que o trajeto não será fácil. Mesmo assim, o jovem jogador de 21 anos sonha alto. “O limite é o céu. Quero títulos. O contato come esses jogadores experientes é de muita grandeza. Isso eh muito bom”, finalizou.



Fonte: UOL
Comentários