O Botafogo entrou nesta semana com processo contra o ex-presidente do clube, Maurício Assumpção. Na ação judicial, o clube cobra do ex-dirigente uma indenização de cerca de R$ 50 milhões por perdas e danos sofridos pelo Glorioso durante a administração do dirigente, que durou de 2009-2014.

Nesta quarta-feira (1/11), durante a coletiva para anunciar os novos plano de sócio-torcedor para 2018, o vice-presidente executivo do clube, Luís Fernando Santos, falou sobre a ação movida contra o ex-presidente. E afirmou que o pedido é resultado de uma investigação que comprovou irregularidades durante a administração de Assumpção.

“Quando assumimos o Botafogo, a ideia era verificar como o clube chegou em cinco a seis anos a uma situação vergonhosa, de caos. Com a maior dívida do futebol brasileiro. Duas coisas nortearam esse período. A primeira coisa foi fazer as coisas com calma e tranquilidade que o assunto pedia”, comentou Santos.

“Primeiro, atuamos na esfera administrativa. Verificou-se tudo o que considerávamos que ele tinha feito de errado. Isso foi levado ao conselho, que decidiu pela expulsão dele do quadro de sócio-proprietários. Mas o problema não é só na esfera administrativa. Continuamos investigando. O processo é uma pilha de documentos que foram analisados e entregues a um escritório de advocacia. E isso foi levado a juízo buscando o responsabilizar pelos prejuízos que teve o Botafogo”, completou o dirigente.

O clube coloca no processo diversas acusações contra Maurício Assumpção. Elas envolvem desde a retirada do clube do Ato Trabalhista a não pagamento de impostos.

Fonte: Torcedores.com