Os áudios e imagens do VAR de Palmeiras x Botafogo devem se tornar os primeiros em jogos do Brasileiro a serem divulgados publicamente. O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) requisitou essas informações nesta sexta-feira, e a CBF vai atender o pedido. Caberá portanto ao tribunal definir se mantém sigilo sobre os dados, sendo que a maioria dos processos no tribunal é público.

A ação foi movida pelo Botafogo que pega a anulação do jogo. A alegação é de que houve um erro de direito da arbitragem, isto é, não cumpriu a regra. Na versão alvinegra, o árbitro marcou um pênalti com auxílio do VAR após já ter autorizado um reinício de jogo o que não é permitido.

Para averiguar o caso, o relator do caso no STJD, Décio Neuhaus, requisitou à CBF as imagens, áudios e relatório do árbitro de vídeo. O objetivo é que seja entregue em 48 horas para poder ser anexa.

“Entregaremos a ele. Esse é um processo limpo. Não temos nada a esconder”, afirmou o chefe de arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba.

Pelos procedimentos adotados, a CBF não entrega imagens ou áudios dos jogos com simples pedido de clubes por erros de arbitragem. Mas tem que atender pedidos da Justiça Desportiva ou Justiça comum. Outros casos de usar os vídeos e imagens publicamente seriam de instrução ou divulgação, dependendo de decisão da diretoria da confederação.

Segundo o procurador do tribunal, Felipe Bevilacqua, o tribunal sempre teve a prerrogativa de requisitar os áudios e imagens “dentro da legalidade para alcançar as provas e os responsáveis, como qualquer outro”. Ele afirmou que o sigilo desses dados vai depender do relator do caso, Décio Neuhaus.

O blog não conseguiu contato com Neuhaus. Mas, normalmente, os processos no STJD são públicos. São poucos os casos em que é estabelecido sigilo. Além disso, equipes de arbitragem e de VAR foram convocadas a depor. É provável portanto que o teor das gravações seja conhecido e divulgado com perguntas para os árbitros.

A questão da revelação do conteúdo do VAR gerou controvérsia na Copa do Mundo quando a CBF requisitou os vídeos e imagens à Fifa de jogo com a Suíça e teve o pedido negado. Mais tarde, a própria federação internacional exibiu essas informações em entrevista coletiva.

Fonte: Blog do Rodrigo Mattos - UOL