Apesar de ter o mesmo sobrenome, Vinícius Assumpção não tem nenhum parentesco com o atual presidente botafoguense Maurício Assumpção. Administrador de empresas de 52 anos e um dos mais jovens conselheiros do clube, ele atualmente é o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico Solidário do Rio. Na eleição, ele é candidato pela chapa alvinegra “Vinícius Presidente”.

Em entrevistas realizadas pelo ESPN.com.br na última semana, os candidatos responderam às mesmas perguntas sobre assuntos pré-definidos. A eleição para presidente do Botafogo acontece nesta terça-feira, e quem tiver mais votos vai comandar o clube no triênio de 2015, 2016 e 2017.

Primeiro dos concorrentes a lançar a candidatura e único que não fez parte da gestão atual, Vinícius Assumpção diz que sua prioridade é implantar uma administração 100% profissional no Botafogo. Além disso, ele destaca a importância do papel da torcida no clube e quer dar ao sócio-torcedor o direito a voto nas próxima eleições do Alvinegro carioca. Com um plano de readequação financeira, ele também quer recuperar a força do time de futebol.

“Não vou colocar jogador que fica beijando o escudo do Botafogo. Não precisa disso. Precisa é de comprometimento, de dar condições de trabalho, pagar em dia. Vamos contratar o que podemos pagar, com gestão responsável, profissional. Tem de ter comprometimento com história, torcida. Ele não pode perder o jogo e no dia seguinte jogar futevôlei”, afirmou Vinícius.

Confira abaixo a entrevista completa com Vinícius Assumpção:

PRIORIDADES E PRINCIPAIS PROPOSTAS

A prioridade é a mudança de gestão do clube. Na campanha da Chapa Alvinegra temos dito que é a verdadeira mudança. Ela (a Chapa) tem dois pilares, implementação de gestão 100% profissional dentro do clube. O Botafogo não aguenta mais. Precisa ter um presidente e uma diretoria que estejam 24 horas dentro do clube. Não se pode mais ter um presidente que acorde, tome o café, vá para sua empresa e depois chegue no clube no fim da tarde para saber como está tudo. Isso é tratar o Botafogo em segundo plano. Temos uma empresa, Alvarez & Marsal, uma empresa de recuperação financeira, recuperou a Casa & Video, algumas empresas do Eike Batista. Vamos apresentar um plano de recuperação financeira. Vamos aprovar esse plano no Conselho Deliberativo para que todos possam segui-lo para começarmos uma gestão profissional. Segundo, queremos uma ampliação de democracia do clube. É uma vergonha, ridículo o Botafogo ter 1.800 associados com direito a voto. 1.300 que devem votar, 560 estão nas chapas. Você tem na verdade poucos eleitores em disputa. O Botafogo é um clube para poucos. Queremos ampliar essa democracia, direito de voto para sócio-proprietário, com ética. O dono do Botafogo é a torcida dele.

PLANEJAMENTO PARA O FUTEBOL

Eu fui o único dos quatro candidatos que estava na partida entre Botafogo e Figueirense (semana passada). Os outros davam entrevistas para a TV. É isso que quero fazer como presidente, estar à frente. 2015 vai ser difícil por causa das dívidas. Quero dizer à torcida que vamos apresentar um plano de readequação financeira e com ela podemos recuperar juntos o poder com potência esportiva do cube. Não vou colocar jogador que fica beijando o escudo do Botafogo. Não precisa disso. Precisa é de comprometimento, de dar condições de trabalho, pagar em dia. Vamos contratar o que podemos pagar, com gestão responsável, profissional. Tem de ter comprometimento com história, torcida. Ele não pode perder o jogo e no dia seguinte jogar futevôlei. Tem até o direito, mas tem de sofrer e comemorar com o que está em volta. Ele tem de entender. Queremos jogador que queira construir a sua história. Por isso digo que o Jefferson é ídolo e ídolo não se vende. Nossa chapa já procurou o empresário dele e deixamos claro que queremos apresentar um projeto para ele. Queremos que ele seja o símbolo desse renascimento como potência. Ele tem condições de ultrapassar o Manga e ser o maior goleiro da história do Botafogo. Tem de ser melhor tratado. Estão dizendo que vai para o São Paulo. Vai ser mais um lá, o ídolo é o Ceni. Aqui ele é ídolo. Se uma criança quiser comprar camisa do Jefferson, não tem. Não por falta, mas por não ter linha infantil. Queremos um projeto para ele para que construa uma história dentro do Botafogo. Mesmo que o clube caia para a Segunda Divisão. Esse exemplo é só o que queremos construir no futebol. Toda arrecadação do sócio-torcedor vai ser integralmente destinada ao futebol profissional. A minha gestão vai ser coletiva. O desafio é muito grande para um homem só. Não tenho a prepotência de um homem só. A nossa equipe para o futebol profissional vai discutir reformulação de elenco, todo processo. Por enquanto não fizemos a avaliação.

Divulgação/Botafogo

Vinícius Assumpção valoriza o ídolo Jefferson e pretende mantê-lo do clube
Vinícius Assumpção valoriza o ídolo Jefferson e pretende mantê-lo do clube

PLANOS PARA O ENGENHÃO

Teve uma notícia sobre a Odebrecht compartilhar a gestão. Eu tenho dito que estou aberto ao diálogo, mas a gente não abre mão do Engenhão. Ele precisa ser inteiramente repensado. Vamos trabalhar a setorização com sócio-torcedor, criar setores populares. As divisões do sócio-torcedor serão casadas com o setores do Engenhão. Já conversamos com duas empresas que têm interesse em dar nome ao estádio. Trabalhamos para criar um grupo de trabalho com a prefeitura, com empresas como Fetranspor, Supervia, Metrô, Lamsa, a operadora da Linha Amarela, para pensar um projeto de melhoria de acesso ao estádio. Porque não podemos ter um ônibus direto de Copacabana, Jacarepaguá para o Engenhão? O torcedor compraria a passagem de ida e volta. Criar facilidade de estacionamento para os shoppings e dali ter transportes para o estádio. Queremos aumentar os acessos, hoje são quatro. E criar um tratamento VIP dentro do Engenhão ao sócio-torcedor. Pensamos no Engenhão como equipamento que possa gerar grande receita para a gente. Vamos cobrar da prefeitura que o Botafogo perdeu em receitas futuras em torno de R$ 40 milhões. Vamos dialogar com o prefeito Eduardo Paes, que ele é aberto para isso. O principal interesse no diálogo é o Botafogo e disso não vou abrir mão.

PROJETOS DE MARKETING E SÓCIO-TORCEDOR

Essa é uma mola-mestre. A torcida é a mola-mestre da nossa campanha e vai ser da nossa gestão. É um clube para poucos, como já falei. Precisamos ter um sócio-torcedor e vai ser assim na nossa gestão. Ele pode ter direito ao voto com dois anos de adimplência. E no terceiro ano ele pode comprar o título de sócio-proprietário. Depende da categoria. Quanto maior a categoria, maior do desconto. Vamos criar uma categoria em que é o sócio-proprietário é sócio-torcedor automaticamente. Não vai precisar pagar duas vezes. Ele vai ter um setor exclusivo dentro do estádio. Vamos ter um programa de relacionamento intensivo. vamos fazer sorteio, viagens com o time. Vamos ter outros atrativos para aderir ao plano. Cruzeiro está chegando a R$ 5 milhões e o Botafogo com R$ 300 mil mês. É menos do que 10% do que o Internacional arrecada. Então como vou concorrer para montar time? A Chapa Alvinegra enxerga a torcida como um processo de recuperação do clube.

DIVISÕES DE BASE, CT EM MARECHAL HERMES E CAIO MARTINS

Vamos partir para construir finalmente o CT da base em Marechal Hermes. Vamos recuperar certidões e criar um fundo gerido por um botafoguense, escolhido de consenso e que seja à parte de minha direção para dar transparência. Esse fundo vai ser criado para botafoguenses coloquem recursos que vão diretamente para a construção de Marechal Hermes, sem passar pelo caixa do clube. Sabemos de grande botafoguenses que querem ajudar o clube no seu CT. Cito o exemplo claro do Daniel, do Vitinho, que levou um ano para estourar, jogou três meses e foi vendido. Daniel começou a jogar e se machucou. Por quê? Porque tem esse espaçamento entre base e profissional e ele se retrai e demora tempos para se familiarizar com o profissional. Temos de criar uma maneira de jogar com o futebol profissional. Vamos criar a escola da Estrela Solitária, de ensinos fundamental e médio, onde os nossos alunos vão ter aula, inclusive sobre a importância de jogar no Botafogo. Queremos criar, inclusive, valores extracampo. Para que eles percebam o que está em volta deles. Estamos criando cidadãos. Isso é importante a gente fazer, criar valores extracampo. A outra coisa é ver a base como investimento, como patrimônio. Dória, diferentemente do Gabriel que achamos em são Paulo, era peneira do clube. Foi a política do enxuga gelo, pega dinheiro do investidor para pagar dívida. O Dória no fim foi vendido por R$ 30 milhões. Pagava o Refis de cara e investia na base. O Botafogo não recebi nada e não foi possível. O empresário dele tinha 40% do passe dele. Como pode? É porque o Botafogo pede dinheiro emprestado o tempo todo.

No Caio Martins vamos dar um tratamento e utilizar enquanto estiver em construção o CT da base em Marechal Hermes. Assim que o CT estiver pronto vamos fazer um estudo de viabilidade. De qual maneira vamos tratar o Caio Martins? As sedes tem de ser autossustentáveis. De maneira integrada, mas profissional, para a gente poder equacionar. No Caio Martins vamos fazer esse estudo.

QUAL PANORAMA ESPERA ENCONTRAR NO CLUBE?

O desafio é grande. É uma tragédia. Foi colocada em risco a sobrevivência do Botafogo. Ele só não está morto pela sua torcida, é tarefa difícil e não por um homem só. Assim que eleito, vou reunir todas as chapas. Quero fazer uma composição colegiada. É um processo difícil, mas que tem de ser encarado de frente, de forma profissional com ética. E assim vamos conseguir colocar o Botafogo nos trilhos. Se conseguir isso minha missão vai estar cumprida. Claro que eu quero ser campeão com o clube. Mas quero dividir de forma irresponsável e apresentar o caminho de forma responsável. Os outros três candidatos falam que a primeira gestão foi boa e a segunda ruim. A primeira gestão do Maurício foi muito ruim, a cada ano ele foi comprometendo a dívida. Todos eles fizeram parte da gestão. Sou o único que não fez parte da gestão do Maurício. Inclusive tenho o mesmo sobrenome, mas não sou parente e nem fiz parte da gestão dele.

Fonte: ESPN.com.br