A saída de Renê Simões do cargo técnico do Botafogo deixou um vazio no elenco. Isso pode ser evidenciado nas palavras do capitão Jefferson. O semblante baixo deu o tom na reapresentação do Alvinegro após a precoce queda na Copa do Brasil para o Figueirense, em pleno Nilton Santos. Jefferson reforçou a admiração que tem por Renê, desejou força ao treinador e aproveitou para deixar claro que o grupo precisa pensar no próximo compromisso, apesar do cenário de tristeza que ronda o vestiário

“É triste a saída de uma pessoa que adoramos a admirar. Eu vou guardá-lo para sempre comigo. Mas sabemos que futebol é assim: resultado. Nós lamentamos e agora é bola na frente. Desejo todo a sorte ao professor Renê para que ele possa voltar rapidamente a outro clube. Agora é continuar nossa caminhada, porque temos um jogo difícil contra o Náutico. Está nas mãos na diretoria o nome do novo comandante. Nós, jogadores, temos que se conscientizar para tirar o Botafogo dessa situação”, afirmou.

Agora, a diretoria alvinegra trabalha para fechar com um novo comandante. Os nomes de Marquinhos Santos, ex-Coritiba, e Doriva, ex-Vasco, são os mais cotados para assumir o time. Como capitão, Jefferson negou ter uma possível carta branca que teria, como principal jogador do elenco, na hora de comentar sobre a escolha do treinador.

“Acho que a gente tem que ter limite. Eu sei do meu limite aqui no Botafogo. Eu cobro, motivo, chamo os jogadores. Mas acho que, hoje, não cabe a mim querer interferir na decisão da diretoria e do presidente. É claro que, pela minha experiência, e recebendo liberdade, eu direi o que penso, mas não dizer ‘pega fulano’, ‘fecha com ciclano’, porque a responsabilidade, no final, vai ser sempre da diretoria e do presidente. Temos que saber até que ponto nós podemos interferir na decisão da diretoria”, disse.

Botafogo e Náutico se enfrenta no sábado, às 16h30, no estádio Nilton Santos.

Fonte: Site da Rádio Tupi