Desde que o técnico Jair Ventura virou o treinador, o Botafogo foi vazado apenas uma vez, na derrota para o Atlético-PR, nas últimas cinco partidas. Um dos pilares da defesa carioca é o experiente zagueiro Emerson Silva, de 33 anos. Além de evitar os gols, ele ficou conhecido por ser artilheiro e ter servido à seleção brasileira.

Sua única convocação foi feita pelo técnico Mano Menezes no Superclássico das Américas contra a Argentina em 2011. Apenas jogadores que atuavam no Brasil foram chamados.

“Para mim foi um sonho realizado, mesmo não tendo jogado. Entrei para a história por ter sido o sexto jogador do Coritiba a ser chamado. Isso foi bacana. Nosso time tinha Neymar, Ronaldinho, Casemiro, Fred, só feras”, contou ao ESPN.com.br.

Após um empate por 0 a 0 na casa do adversário, o Brasil venceu os argentinos por 2 a 0 no Magueirão, em Belém. Os gols foram marcados por Lucas Moura e Neymar.

“Eu sou muito tímido e sério, tinha muita vergonha. Os meninos brincavam muito, mas eu era mais sossegado. Na apresentação na seleção foi engraçado todo mundo pede para você decorar o que vai falar. Se falar besteira, eles zoam sem dó”.

A fase de zagueiro-artilheiro era tão boa que até mesmo quando subia para o ataque era um perigo. Foram 20 gols em dois anos pelo Coritiba.

“Eu tinha uma meta de fazer 10 gols em um ano. Antes do meio do ano já tinha batido isso. Contra o Grêmio eu machuquei meu pé e fiquei uns seis meses fora de campo. Quando estava para sair me machuquei”.

Isso também interrompeu uma fase em que o defensor era cobiçado por diversos clubes do Brasil. “Eu tinha várias propostas para sair, mas só iria embora quando estivesse firmado. São Paulo, Grêmio, Corinthians, Palmeiras e Cruzeiro tentaram, mas o Coritiba queria muito dinheiro”.

Depois de retornar de contusão, ele foi comprado por R$ 3 milhões pelo Atlético-MG em 2013 a pedido do técnico Cuca. Uma fratura na fíbula, porém, o deixou um ano fora dos gramados.

Em 2015, foi emprestado ao Avaí para recuperar ritmo de jogo. Com a volta da boa fase, foi para o Botafogo em janeiro deste ano, depois de romper o vínculo com a equipe mineira.

Pelo time carioca, recém-promovido à Série A, ele foi vice-campeão carioca e agora participa da arrancada no Campeonato Brasileiro.

“Foi muito boa essa chegada aqui porque o time estava mais confiante depois do acesso. Nosso grupo é muito bom e não tem vaidade. É um torcendo pelo outro e fizemos um excelente estadual quando ninguém acreditava. Estamos saindo das dificuldades que passamos. Nosso elenco merece coisas melhores”.

Para manter o embalo na competição, o Botafogo terá que superar o Santos na Ilha do Governador, nesta quarta-feira, às 19h30. O time carioca ocupa a nona posição na tabela.

Fonte: ESPN.com.br