Botafogo não paga FGTS a funcionários e jogadores desde 2018

69 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Bandeira do Botafogo na sede social de General Severiano
Carlos Eduardo Sangenetto/FogãoNET

O Botafogo parou de fazer os depósitos referentes ao recolhimento do FGTS de funcionários e jogadores fielmente a partir de 2018, problema este que motivou a ação judicial do zagueiro Lucas Mezenga. A informação é do “GE”.

Com este problema, o Botafogo fica vulnerável a outras ações similares, já que o recolhimento do FGTS é um direito trabalhista. Até agora, apenas o zagueiro entrou com uma ação neste sentido.

Este pagamento não entra no acordo judicial em parceria com o Sindeclubes que garantiu ao Botafogo o pagamento dos salários. O FGTS era pago com o dinheiro da Timemania, mas o clube deixou de receber a verba porque perdeu a Certidão Negativa de Débito.

O Botafogo emitiu um posicionamento sobre o problema com o FGTS de funcionários, ao “GE”:

O Botafogo tem sido transparente em seus posicionamentos sobre as dificuldades financeiras e apresentado publicamente os movimentos na Justiça para administrar as pendências existentes. Há um plano criterioso de regularização das dívidas, que vem sendo cumprido em total alinhamento com o espírito da lei da SAF. O Clube está em diálogo permanente com atletas e colaboradores expondo suas dificuldades financeiras especialmente para honrar salários em dia, obrigação máxima de todo gestor“, escreveu o clube.

O Botafogo pode ainda se resguardar numa lei que flexibilizou regras para gestão dos clubes durante a pandemia – entre elas a derrubada temporária do recolhimento do FGTS. O estado de calamidade pública ia até o fim do ano passado, mas o STF estendeu a condição por tempo indeterminado, o que pode beneficiar o Alvinegro.

Fonte: Redação FogãoNET e GE

Notícias relacionadas