Defesa e ataque: final traz à tona destaques em diferentes setores para Botafogo x Vasco

2 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Defesa e ataque: final traz à tona destaques em diferentes setores para Botafogo x Vasco
Vitor Silva/Botafogo

Se Botafogo e Vasco estão em caminhos parecidos fora de campo, a medida não se aplica ao desempenho das equipes. O Alvinegro é forte na defesa, mas tem dificuldade no ataque. Enquanto isso, o Cruz-Maltino aparece com destaque no terço final, mas tem dor de cabeça para defender. Neste domingo, às 11h05, no Nilton Santos, os dois se encontram no primeiro jogo da final da Taça Rio. O duelo será transmitido em tempo real no site do L!.

O primeiro duelo da decisão coloca à tona como as duas equipes, que passaram por diferentes estratégias para reformular o elenco visando a Série B, chegaram à final da Taça Rio. O Botafogo tem a melhor defesa do Carioca, com nove gols sofridos, e o Vasco chega com o segundo melhor ataque, balançando as redes em 24 oportunidades.

Se as equipes funcionam em um setor do campo, a metade oposta causa dor de cabeça aos respectivos treinadores. O artilheiro do Botafogo no Carioca, por exemplo, ainda é Matheus Babi, que deixou o Alvinegro rumo ao Athletico há um mês. O sistema ofensivo do Alvinegro é o pior dos times que estão nas semifinais das Taças Guanabara e Rio: apenas 15 gols marcados.

O Vasco, por sua vez, também chega ao duelo carregando uma marca negativa: a equipe comandada por Marcelo Cabo foi vazada em todos os jogos que disputou na temporada 2021. São 15 duelos e 19 gols sofridos – uma média de 0,78 por jogo.

Basicamente, o bom setor de uma equipe é um sistema com números e sequência negativa no rival. O desequilíbrio dos sistemas e as respectivas forças serão colocadas à força neste primeiro jogo.

Fé pros crias

O sistema defensivo do Botafogo tem sido formado, basicamente, por garotos criados nas categorias de base do clube. Kanu, um dos poucos destaques da equipe na campanha do último Brasileirão, permanece sendo o líder da defesa, agora com a companhia de Sousa, de 19 anos.

O Botafogo, inclusive, está em uma sequência de três jogos seguidos sem levar gol no Carioca tendo a dupla formada em General Severiano como titular no miolo de zaga.

A revelação do Botafogo na temporada é defensor e veio dos times de base: o lateral-esquerdo Paulo Victor. O jogador subiu ao profissional no começo do Carioca porque os atletas da posição estavam indisponíveis. Com as boas atuações, não saiu mais do time principal e vem se confirmando como titular.

Faz o L!

O ataque do Vasco passou por mudanças se comparado aos nomes que atuaram na reta final da última temporada. Um nome, porém, segue intacto no comando do sistema ofensivo: Germán Cano. O argentino tem seis gols marcados em oito partidas na temporada 2021.

O camisa 14 continua sendo a grande ameaça do Cruz-Maltino, que possui, agora com Marcelo Cabo, um time ofensivo e de forte chegada ao ataque, com laterais participativos e volantes que pisam na área.

As companhias do argentino também ajudam a explicar os 26 gols marcados em 15 jogos: Gabriel Pec balançou as redes seis vezes; Marquinhos Gabriel, três e Morato uma.

Fonte: Terra

Notícias relacionadas