Durcesio explica pendências atuais na SAF por fluxo de caixa, cita Lyon e Globo e tranquiliza torcida do Botafogo: ‘Nada para assustar’

61 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Durcesio explica pendências atuais na SAF por fluxo de caixa, cita Lyon e Globo e tranquiliza torcida do Botafogo: ‘Nada para assustar’
Vitor Silva/Botafogo

Presidente do Botafogo, Durcesio Mello admitiu que há algumas pendências momentâneas no futebol alvinegro sob o regime SAF. O dirigente explicou a situação e citou a compra do Lyon e a verba da TV Globo como fatores que pesaram no fluxo de caixa da empresa, mas reforçou que não há o que a torcida se preocupar.

– Alguns pagamentos realmente atrasaram, mas é normal porque atrasou o fluxo de caixa, é dinheiro que o John Textor injeta. O dinheiro da Globo usamos para pagar salário, tudo isso. Agora vai entrar a premiação da Globo pelo 11º lugar (no Brasileirão). Isso é temporário, não é nada para assustar ninguém. A questão do fechamento da compra do Lyon atrasou um pouco e com isso a verba que trouxe para Lyon e Botafogo ficou presa momentaneamente. Isso vai se fechar agora e vai regularizar tudo isso, não é nada para assustar. Mas que há algumas pendências pequenas, há sim. Antes do fim do ano já vai estar tudo certo – explicou Durcesio, em entrevista ao Canal do Anderson Motta na noite desta quinta-feira (24/11).

Presidente responsável por fazer a transição do Botafogo para clube-empresa, Durcesio Mello deu nota 10 para o primeiro ano da SAF e afirmou que, sem a chegada de John Textor, o Glorioso provavelmente seria rebaixado para a Série B.

– Eu daria nota 10. Demos uma sorte danada de arrumar um cara como o John Textor, ele ama futebol, ama o Botafogo. Ele se identificou tanto com a torcida do Botafogo, e isso tem o mérito também da torcida, ele entende de futebol, gosta de futebol. Ele sempre fala que a paixão dele é o Botafogo. Ele tem o Molenbeek, Crystal Palace, está comprando o Lyon, mas ele fala que o negócio dele é o Botafogo – afirmou Durcesio.

– É duro falar isso, mas acho que estaríamos de volta à Série B (sem a SAF). Não tínhamos dinheiro para continuar tocando o clube. Conseguimos uma SAF em tempo recorde, o Botafogo já estava preparado, já vinha com o projeto do Laércio e os irmãos Moreira Salles. O Botafogo foi pioneiro, demos sorte da lei sair no congresso, trabalhamos para isso também. Hoje provavelmente estaríamos com salários atrasados e não teríamos feito nenhuma contratação. Seria provavelmente o mesmo time que acabou a Série B com alguns desfalques – finalizou o presidente.

Fonte: Redação FogãoNET e Canal do Anderson Motta

Notícias relacionadas