Jorge Braga se despede do Botafogo: ‘Encerro meu ciclo no Glorioso com o sentimento de realização’

80 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Entrevista do CEO Jorge Braga, do Botafogo, em setembro de 2021
Reprodução/Premiere

Ex-CEO do Botafogo, Jorge Braga se despediu do clube com uma carta aberta postada em seu perfil no Instagram nesta sexta-feira (9/9). Ele destacou o sentimento de realização, fez agradecimentos e desejou sucesso ao investidor John Textor, a Thairo Arruda e a Danilo Caixeiro.

Jorge Braga deixou o Botafogo esta semana na Justiça e está processando a SAF e John Textor, alegando esvaziamento de sua função, falta de autonomia e pagamento de salários.

📄 Leia abaixo a carta de Jorge Braga:

“À Toda Torcida Botafoguense,

Hoje encerro meu ciclo no Glorioso com um só sentimento: o de realização. Lembro que ao receber o convite, logo vi o tamanho da responsabilidade que seria liderar um clube desta magnitude em seu processo de transformação em SAF. Ao mesmo tempo, não pensei duas vezes: ajudar o Botafogo a retomar o caminho das glórias era uma missão que precisava ser cumprida.

Em todos os aspecto, sempre será uma honra poder lembrar que meu nome está escrito em algumas das incontáveis páginas da história gigantesca e cheia de tradição deste clube. Chegar até aqui, no entanto, não será possível sem a ajuda de tantos colaboradores, colegas de trabalho e, claro, sem o apoio dessa apaixonada torcida, que sempre me emocionou com seu carinho e respeito pelo meu trabalho.

Banner da loja do FogãoNET

Gostaria também que todos que vestiram e suaram a camisa do Botafogo junto comigo se sentissem abraçados e recebessem o meu sincero muito obrigado. Em especial, quero agradecer o apoio e respaldo dos Presidente Durcesio Mello, Mauro Sodré e André Souza, dos Conselheiros João Pedro Figueira, Marcelo Figueira, Fred Bastos, os beneméritos Fernando Pereira, Claudio Good, João e Walter Salles e os talentosos Laércio Paiva e André Chame, que nunca abandonaram a luta pela profissionalização.

Quem viu como estava o Botafogo e o que ele se tornou quando da sua transformação em SAF talvez não lembre dos tempos difíceis que insistiam em permanecer. Equalizar contas, renegociar e honrar dívidas, manter salários em dia, introduzir uma nova mentalidade de trabalho, criar e proteger uma cultura de responsabilidade financeira, recrutar, capacitar e treinar os novos gestores, são apenas alguns dos aspectos que foram fundamentais tanto para a atração dos investidores, como também para garantir a transição suave nos primeiros meses da nova constituída.

Segundo uma linha na qual acredito muito, que é a de prometer menos e entregar mais, fomos campeões da Série B, voltamos à Elite do futebol e conseguimos fazer com que o torcedor alvinegro pudesse novamente se orgulhar de ser representado por um clube que possui postura, respeitabilidade e credibilidade.

Transformar esta instituição centenária em uma empresa profissional, que honra seus compromissos e preza pela transparência é o fruto de um esforço diário, cansativo, mas para o qual me tornei incansável e intransigente. Foram tempos de renúncia pessoal, de estar longe da minha família (morando em hotel), mas do quais hoje tanto me orgulho.

Saio muito realizado e motivado pelo trabalho feito, desejando sucesso para o investidor John Textor, e também Thairo e Danilo. Para os desafios que estão por vir, carregarei comigo meus princípios e muito do que aprendi vivendo o Botafogo: nada e nem ninguém nunca será maior que o clube. Todo mundo quer ganhar, mas não a qualquer preço. Trabalho, coerência, ética, pragmatismo, honestidade, transparência e profissionalismo precisam ser pilares. Sempre.

Por fim, torcedor Botafoguense, quero dizer que continuarei sendo mais um entre vocês, não importa se de perto ou de longe. O Botafogo merece um futuro digno da sua história e a minha torcida por isso será eterna. Vida longa ao Botafogo!”

Fonte: Redação FogãoNET e Instagram do Jorge Braga

Notícias relacionadas