Jornalista destrincha estilo de Luís Castro e projeta Botafogo mais propositivo: ‘É um meio-termo entre Jorge Jesus e Abel Ferreira’

43 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Jornalista destrincha estilo de Luís Castro e projeta Botafogo mais propositivo: ‘É um meio-termo entre Jorge Jesus e Abel Ferreira’
Vitor Silva/Botafogo

Além dos reforços, o Botafogo terá neste domingo, diante do Corinthians, a estreia também do técnico Luís Castro. O português de 60 anos terá sua primeira experiência no futebol brasileiro, e o torcedor alvinegro vive a expectativa sobre como o Glorioso irá se portar.

Léo Miranda, jornalista do Grupo Globo, previu um futebol mais propositivo, tentando jogar no campo de ataque, mas deixando claro que as características do atual elenco podem influenciar nesse estilo desejado.

– Luís Castro inicia uma nova era no Botafogo, foi uma escolha pessoal do John Textor, que quis o português para criar o que ele chama de Botafogo Way. É um técnico que mantém a bola, que faz essas triangulações pelo campo, no Shakhtar fazia muito bem isso. É um técnico que se adapta ao elenco que tem, quer um time ofensivo, mas se tem uma equipe de mais velocidade como foi o Al-Duhail, vai colocar o time mais longo, para esticar mais o campo. Deve ser um Botafogo mais diferente – avaliou Miranda, no “Redação SporTV”.

O jornalista, especializado em tática, fez uma comparação com outros técnicos portugueses de recente sucesso no futebol brasileiro: Jorge Jesus, ex-Flamengo, e Abel Ferreira, do Palmeiras. Para ele, Luís Castro está no meio-termo entre os dois treinadores.

– O Luís segue a escola portuguesa, está mais para Jorge Jesus do que para Abel, mas se adapta ao elenco que tem. Talvez seja o meio-termo entre aquele futebol ofensivo que joga no campo do adversário, do Jesus, mas ele se adapta ao próprio elenco como o Abel faz. Uma coisa o Luís Castro não vai desistir nunca: de ter um time propositivo, que joga no campo do adversário, que procura tocar a bola de uma forma curta, rápida. E é a promessa de um Botafogo organizado. Mas não é aquele técnico que tem uma ideia fixa – ponderou Léo Miranda.

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Notícias relacionadas