Jornalista: ‘A sensação nesse início do Botafogo é de esperança, mas com pés no chão’

23 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Jornalista: ‘A sensação nesse início do Botafogo é de esperança, mas com pés no chão’
Vitor Silva/Botafogo

O Botafogo alterna entre a esperança de dias melhores com a SAF e realidade de um time ainda modesto disputando o Campeonato Carioca, no qual estreou com empate em 1 a 1 com o Boavista, na terça-feira. Para o jornalista Rodrigo Coutinho, no “Bandsports”, o futuro é promissor.

– Ainda não é uma expectativa totalmente confirmada, por faltar a parte burocrática, mas John Textor deu entrevistas como novo dono, falou que vai investir, no início não é tão alto, mas faz o torcedor sonhar um pouco mais. O (diretor de futebol) Eduardo Freeland falou em cinco nomes, especula-se Elkeson, Rafael Carioca, jogadores que em termos de nível técnico estão acima do atual elenco. Não dá para esperar que todas as contratações sejam desse nível, que de uma hora para outra vai montar um timaço. Não é por aí. Existe um percentual para dívidas e outro para estrutura do clube, além de salários. A sensação nesse início é de esperança sim, mas com pés no chão – afirmou Rodrigo Coutinho.

O comentarista opinou que o objetivo do Botafogo este ano ainda tem que ser a manutenção na Série A do Campeonato Brasileiro.

– Se tivesse que projetar 2022, tem que ser ficar na Série A. Não dá para pensar em classificar para Libertadores ou em títulos grandiosos, com todo respeito à grandeza do clube e à torcida. É momento de ter os pés no chão, montando elenco devagar, fazendo ser mais competitivo. A manutenção do Enderson (Moreira) foi boa alternativa, está habituado à realidade. Ainda tem desfalques, lá para a quarta ou quinta rodada deve contar com força máxima, lembrando que ainda é longe de ser a que o clube almeja – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e Bandsports

Notícias relacionadas