Loffredo: ‘Botafogo nem é time sensacional nem é sem vergonha. Acho que não é para Z-4’

49 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Loffredo: ‘Botafogo nem é time sensacional nem é sem vergonha. Acho que não é para Z-4’
Vitor Silva/Botafogo

Em um mês, o Botafogo saiu do G-4 para o Z-4 no Campeonato Brasileiro. O último revés foi a derrota por 1 a 0 sobre o Avaí, nesta segunda-feira, no Estádio Nilton Santos. Para o comentarista André Loffredo, no “SporTV News”, o time alvinegro está no meio-termo

– Há a questão da expectativa, gerada por dois motivos. Primeiro por ser o Botafogo, ter história, tradição, camisa. Quando sobe, a expectativa não é apenas se manter, é fazer boa campanha. Aí vem a tal da SAF, vai chegar caminhão de dinheiro, contratar todo mundo e pronto, vai ser campeão de tudo. Não é assim que funciona, mas é assim que discretamente é vendido. O torcedor compra a expectativa porque ela é vendida. Nem o time é o aquele do G-4 sensacional nem é sem vergonha. Passou por bom momento, fez torcida se empolgar, mas é normal que se frustre. Não é sem vergonha. Não sabemos se o local vai ser a zona de rebaixamento, acho que não. Acho esse grito nada agradável, são profissionais, na maioria das vezes estão se dedicando. É um grito duro, porque acho que o time nem é tão bom para estar no G-4 nem tão ruim para estar no Z-4 – explicou Loffedo.

– Tem pontos no trabalho do Luís Castro para serem contestados, escalação, troca dos volantes. Ontem o PVC mandou uma muito boa, ele não viu o Chay, para escalar como ponta-direita – acrescentou.

O jornalista Luiz Teixeira alertou para a parte psicológica da equipe.

– Você percebe que depois que toma o gol o Botafogo fica completamente abalado. Esquece que o primeiro tempo foi bom. Oportunidades foram criadas. Mesmo com esse problema de escalação e substituições contestáveis, finalizou 21 vezes. Depois do gol do Kevin, o mundo desaba, ou por pressão da torcida ou por pressão psicológica individual. Tem problema grande de concentração, focar na partida quando está em desvantagem. Além de acertar os problemas dentro de campo, precisa resolver a questão psicológica. Com a torcida gritando time sem vergonha e olé para o adversário não é uma boa forma – disse Luiz Teixeira.

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Notícias relacionadas