Luís Castro, no ‘Bem, Amigos!’: ‘Trabalhar no Glorioso é fantástico, apesar das dificuldades. Quero deixar marca de quem participou da base do Botafogo do futuro’

46 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Luís Castro, técnico do Botafogo, no "Bem, Amigos", do SporTV, em maio de 2022
Reprodução/SporTV

Luís Castro deu ótima entrevista ao programa “Bem, Amigos!“, do “SporTV“, desta segunda-feira (2/5). O técnico português do Botafogo deixou claro qual foi sua motivação para acertar com o clube alvinegro.

– Quando somos convidados para um clube procuramos saber a história do clube, o passado, a pegada. No Botafogo lembramos de Garrincha, Jairzinho, Didi, Amarildo, Nilton Santos, grandes referências, que estão no maior feito do Brasil, de ser pentacampeão mundial, olhar aquela estrela no emblema, um desafio grande. Outra coisa é que fui mais um treinador que ganhou título no Al-Duhail, Shakhtar e Porto, no Botafogo estou na base do que pode ser o futuro. Quero deixar minha marca. Sei que minha vida no Botafogo pode acabar amanhã, em oito dias ou 15 dias, porque nossa honestidade se vê com os resultados no futebol, não com a nossa dignidade do trabalho. É assim. O tempo que estiver no Botafogo gostaria de deixar a marca como um dos que participou do que será o Botafogo do futuro, de sucesso – disse Luís Castro.

O treinador pediu para não falar sobre a proposta anterior do Corinthians e destacou a felicidade em estar no Glorioso.

– Gostaria de falar apenas sobre o Botafogo. É natural que, como nos últimos anos conquistamos títulos, ficamos na cabeça dos torcedores, como vitória sobre Real Madrid, empate com Manchester City, tivemos visibilidade e aumentamos interesse. No Botafogo, gostei de poder participar do projeto e da forma que John Textor falou comigo, cativou muito. Achei que poderia ali, junto com a vontade de trabalhar no Brasil, fez sempre parte do meu objetivo de vida, conjugaram-se as coisas e estou muito feliz. Me sinto parte da família botafoguense. Trabalhar no Glorioso é fantástico, apesar de todas as dificuldades. Foi um choque quando vi algumas coisas, mas estamos a ultrapassar – explicou.

Instagram do FogãoNET (@fogaonet)

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Notícias relacionadas