PC Vasconcellos usa Athletico-PR de exemplo e diz: ‘Ano foi bom para o Botafogo e a perspectiva é melhor ainda’

25 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Paulo Cesar Vasconcellos, comentarista do Grupo Globo
YouTube/Resenha com TF

Comentarista do Grupo Globo, Paulo Cesar Vasconcellos falou sobre o Botafogo no canal “Resenha com TF”, do jornalista Thiago Franklin, no Twitter. O profissional elogiou o ano alvinegro, que terminou com classificação para a Copa Sul-Americana.

– Entendo que a temporada do Botafogo foi boa. Primeiro temos que pensar que o Botafogo teve três meses a menos na temporada, com bem disse o André Rizek. Como foi nesses nove meses? Teve três times. E chegou na última rodada brigando por Libertadores. Perdeu para o Athletico-PR, que não é um clube qualquer, está umas dez voltas à frente do Botafogo e de outros clubes em estrutura. Precisava vencer, não estava de férias, porque disputar fase de grupos virou um hábito – disse PC Vasconcellos.

O comentarista aproveitou a deixa para usar o Athletico-PR como exemplo.

– Quatro anos o Athletico ganhou sua primeira Copa Sul-Americana, depois a segunda. Diferentemente do olhar europeu, achamos que a Sul-Americana pouco vale. Mas o Botafogo tem que pensar em estabelecer conexão com torcedor para todos os jogos da Sul-Americana em casa terem no mínimo 30 mil torcedores, tem que trabalhar isso, que é o que Athletico fez lá atrás. Tinha que ver a festa quando ganhou, eu estava lá. Tinha que ver o orgulho do torcedor. Depois ganharam a segunda Sul-Americana e continuaram orgulhosos. O que prejudicou muito o Botafogo foram seguidas más gestões, abusivas, que transformaram o clube em motivo de chacota, fizeram o torcedor ouvir piadas e não ter o que falar. Esse projeto de SAF, que foi a salvação do clube, começou no mínimo duas voltas atrás. Mas o ano foi bom para o Botafogo e a perspectiva é melhor ainda – acrescentou.

Para PC Vasconcellos, a SAF foi fundamental por significar uma mudança de paradigma no clube.

– No meio da temporada, fosse outro modelo de gestão e com a instabilidade que se vivia, Luís Castro teria sido demitido. Mandou embora (o técnico Bruno Lazaroni) quando perdeu para o Cuiabá em 2020 e se perdeu. Como que termina essa SAF? Diferentemente do Cruzeiro, do Bahia, o Botafogo é terra arrasada. Flamengo, Vasco e Fluminense têm Centro de Treinamento, por que o Botafogo não tem? Se for perguntar a quem humilhou e agrediu o clube sendo gestor, exceto no período Bebeto de Freitas, vão usar o argumento que eu usava para justifica notas vermelhas: “o professor não gosta de mim”. Mas não, eles foram incapazes, incompetentes, não conseguiram criar estrutura para o Botafogo. Quando chegou agora, o Botafogo saiu do campo anexo para o Lonier, a partir de estrutura isso aqui é consequência, como diz o Luís Castro. Se não fosse a SAF, o que aconteceria com o Botafogo? Não caiu, pensou em Sul-Americana e até em Libertadores – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e Resenha com TF

Notícias relacionadas