Cuca, Fahel, Sorato, Jean Coral… Veja quanto o Botafogo deve a 99 credores após exclusão do Ato Trabalhista

59 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Sede de General Severiano - Posse de Durcesio Mello no Botafogo
Vitor Silva/Botafogo

Excluído do Ato Trabalhista, o Botafogo foi incluído na última semana no Regime Especial de Execução Forçada (REEF), o que fará o clube ser executado de uma só vez em todos os processos deste tipo. Em outras palavras: as dívidas trabalhistas que estavam na fila agora serão centralizadas.

O jornalista Matheus Mandy publicou a lista dos 99 credores que estão nessa conta, entre ex-jogadores e membros de comissões técnicas. São cerca de R$ 84,7 milhões de dívidas trabalhistas, em processos impetrados até dezembro de 2014. Há casos ainda do século passado, como do ex-atacante Sorato. Todos os valores devem ser ainda atualizados.

Mandy também informou que o Botafogo já pagou R$ 109,72 milhões em dívidas durante o funcionamento do Ato Trabalhista. Processos impetrados na Justiça Trabalhista após janeiro de 2015 estavam fora deste programa.

Informações dão conta de que a centralização das dívidas trabalhistas devem romper a casa dos R$ 90 milhões. Nesta semana, o Botafogo solicitou ao Tribunal Regional do Trabalho a migração para o Regime de Execução Centralizada, podendo contar com um prazo de 60 dias para apresentar um novo plano de pagamento.

Veja a quem o Botafogo deve após a instauração do Reef:

Sindeclubes* – R$ 23,272 milhões
Cuca (2006/2008) – R$ 3,678 milhões
Lucas (2011/2014) – R$ 3,381 milhões
Bolívar (2013/2014) – R$ 3,381 milhões
Everton (2011) – R$ 2,277 milhões
Fábio Ferreira (2010/2013) – R$ 2,733 milhões
Fahel (2009/2011) – R$ 2,195 milhões
Daniel Mendes (2000/2002) – R$ 1,848 milhão
Leandro Guerreiro (2007/2011) – R$ 1,8 milhão
Túlio Lustosa (2007/2008) – R$ 1,761 milhão
Dodô (2001/2002) – R$ 1,7 milhão
Max (2002/2008)- R$ 1,6 milhão (espólio)
Gil (2008) – R$ 1,459 milhão
Ricardinho (2004/2005) – R$ 1,423 milhão
Antônio Carlos (2010/2013) – R$ 1,372 milhão
Triguinho (2008) – R$ 1,367 milhão
Marcelinho Paulista (1999) – R$ 1,327 milhão
Leandro Carvalho (2003/2007) – R$ 1,144 milhão
Victor Simões (2009) – R$ 1,3 milhão
Kléber (2001/2002) – R$ 1,193 milhão
Iran (2007/2008) – R$ 1,133 milhão
Joílson (2005/2007) – R$ 1,116 milhão
Rafael Marques (2004/2007) – R$ 986 mil
Márcio Touson (2007/2008) – R$ 972 mil
Lopes (2003/2007) – R$ 930 mil
Lucio Flavio (2006/2011) – R$ 911 mil
Jorge Henrique (2007/2008) – R$ 875 mil
Gabriel (2011/2014) – R$ 868 mil
Jorge Luiz (1999/2000) – R$ 859 mil
Marlos Cogo (preparador físico) – R$ 846 mil
Renato Cajá (2010/2011) – R$ 747 mil
Sorato (1996/1997) – R$ 645 mil
Thiaguinho (2008/2009) – R$ 642,8 mil
Cassius Hartmann (Auxiliar-técnico | 2011) – R$ 622 mil
Ramón (2005) – R$ 610 mil
Fazenda Nacional – R$ 566 mil
Guilherme (2005) – R$ 534 mil
Marcelo Chirol (Prep. físico | 2001/2002) – R$ 501 mil
Tony (2001) – R$ 484 mil
Jean Coral (2009) – R$ 481 mil
Amaral (2012) – R$ 476 mil
Alê (2006) – R$ 469 mil
Júlio César (2013/2014) – R$ 468 mil
Asprilla (2005/2007) – R$ 414 mil
Tavares (2001) – R$ 358 mil
Marcelinho (2005/2006) – R$ 349 mil
Jancarlos (2010) – R$ 309 mil (espólio)
Carlos Alberto Lancetta (Gerente de futebol | 2003/2005) – R$ 306,5 mil
Felipe Saad (2006) – R$ 261 mil
Paulo Sérgio (1999/2001) – R$ 258 mil
Emerson (2008/2009) – R$ 256 mil
Jeferson Feijão (2006) – R$ 246 mil
Lázaro (2000/2005) – R$ 222 mil
Cortez (2011) – R$ 207 mil
Alex (2001) – R$ 191 mil
Bittencourt Sports – R$ 189 mil
Igor (2007) – R$ 185 mil
Duda (1997) – R$ 166 mil
Túlio Maravilha (Projeto Gol 1.000) – R$ 164 mil
Felipe Menezes (2010/2011) – R$ 162 mil
Levir Culpi (2003/2004) – R$ 158 mil
Luiz Mário (2007) – R$ 155 mil
Gabriel Schmoler (2011) – R$ 155 mil
União Federal – R$ 141 mil
Leandro Cardoso da Silva – R$ 137 mil
Altamiro Bottino (Fisiologista | 2001) – R$ 131 mil
Alexandre Oliveira (2011) – R$ 129 mil
Afonso (2001) – R$ 129 mil
César Prates (2005) – R$ 123 mil
Bruno Mendes (2012/2013) – R$ 120 mil
Cláudio (2001) – R$ 117 mil
Renato Alvarenga (2001) – R$ 116 mil
Herrera (2010/2012) – R$ 112 mil
Cláudio Pinto Velloso – R$ 108 mil
Léo Silva (2009) – R$ 103,3 mil
Zé Carlos (Preparador de goleiros) – R$ 99 mil (espólio)
André Lima (2009) – R$ 92,9 mil
Marcos Leandro (2007/2008) – R$ 82 mil
Juca (2006/2007) – R$ 77 mil
Leomir (1997) – R$ 76 mil
Rodrigo Miranda (Base | 2013) – R$ 76 mil
Wellington Santiago de Jesus – R$ 74 mil
Dilvanir Figueira de Almeida – R$ 74 mil
Adriano Felício (2007/2008) – R$ 70 mil
Maíra Ruas (Psicóloga) – R$ 67 mil
João Baptista da Costa Neto – R$ 59 mil
Rodrigão (2002) – R$ 55 mil
Edson Perri (Técnico do Polo Aquático) – R$ 47 mil
Luciano Almeida (2007/2008) – R$ 33 mil
Solivan Valle (Preparador físico) – R$ 33 mil
Paulo Roberto da Conceição – R$ 33 mil
Lúcio Bala (2002) – R$ 30 mil
Bruno (2002) – R$ 20,5 mil
Brinner (2012) – R$ 14,4 mil
José Carlos Borges Leal Filho – R$ 12 mil
China (1997) – R$ 9 mil
Cléber (2001) – R$ 6,5 mil
Rodolfo Mehl (2011) – R$ 2,2 mil
Luiz Carlos Rodrigues Pereira – R$ 557

*Acordo envolvendo o Ministério Público do Trabalho para que penhoras sejam preferencialmente revertidas para pagamento de salários dos funcionários do Botafogo

Fonte: Redação FogãoNET e Canal do Matheus Mandy

Notícias relacionadas