‘Reversão de expectativas’ no Botafogo com Textor é destacada por jornalista: ‘Torcida ficou louca’

24 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

‘Reversão de expectativas’ no Botafogo com Textor é destacada por jornalista: ‘Torcida ficou louca’
Reprodução/SporTV

A chegada de John Textor ao Rio para assinar a oferta vinculante e finalizar a compra de 90% da SAF do Botafogo deixou a torcida alvinegra mais animada do que nunca. Após anos de sofrimento e dificuldades, a expectativa é de que com a chegada do investidor, o Glorioso tenha condições de voltar a brigar por títulos. Para o jornalista Arthur Dapieve, é uma “reversão de expectativas”.

– A torcida do Botafogo ficou louca com as primeiras declarações do John Textor, algumas coisas foram reversões de expectativas. Falava-se muito de investimento em garotada para depois lucrar com uma venda para o exterior, mas ele falou também em trazer jogadores experientes que jogam na Europa. O Textor fala em ganhar logo, e esse otimismo do torcedor se dá não só por conta da perspectiva financeira que estava muito ruim, mas a esportiva também – afirmou Dapieve durante o “Redação SporTV”.

O jornalista destacou o processo de reestruturação adotado no Botafogo após a posse do presidente Durcesio Mello e a chegada do CEO Jorge Braga:

– Essa diretoria conseguiu fazer uma correção de rumos que foi fundamental, que foi demitir o Chamusca e trazer o Enderson Moreira. O time que parecia lutar para não cair para a Série C foi subindo para a tabela e ganhou sem muitos sustos. Foi uma reversão de expectativas que ajuda também a criar esse clima. E fica claro como foi importante ter conseguido subir logo.

Apesar da euforia da torcida com as declarações ambiciosas de John Textor, Dapieve crê que o norte-americano terá um choque de realidade com o jeito como é administrado o futebol brasileiro.

– Não só ele vai ter que se adaptar ao futebol brasileiro, como ele vai entender como o Brasil funciona. Ele vai ter que lidar com ingerências estatais, ele sabe que os clubes brasileiros não são organizados numa liga como são organizados na Inglaterra, ele não ouviu da missa a metade sobre as federações estaduais, a CBF… Ele terá um curso intensivo de Brasil, vai ser bem assessorado, mas algumas coisas serão espantosas para um americano acostumado com o universo do futebol inglês – lembrou.

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Notícias relacionadas