Severino enaltece garra dos jogadores e lamenta indefinição com lesões no Botafogo em semana pré-clássico

87 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Vitor Severino em Botafogo x Fluminense | Campeonato Brasileiro 2022
Reprodução/TV Globo

Auxiliar de Luís Castro, Vítor Severino lamentou as muitas indefinições em relação a problemas físicos no Botafogo na semana que antecedeu o clássico contra o Fluminense, que terminou com derrota alvinegra por 1 a 0 neste domingo (26/6), no Estádio Nilton Santos. O Glorioso teve muitas dúvidas para escalar o time, a ponto de Erison ser sacado do time faltando poucos minutos para a bola rolar.

Uma equipe que tem a semana toda para treinar com todo elenco disponível é diferente de uma equipe que tem a semana toda para treinar, mas que tem dúvidas. Hoje tem uma informação, amanhã tem outra, depois tem uma lesão, depois tem um jogador que aparentemente está apto mas que volta a não estar apto… Montar uma estratégia durante cinco dias sabendo qual é o time que vai jogar é um cenário, e não foi esse cenário que tivemos. Com certeza isso talvez tenha trazido algumas dificuldades, mas seria injusto dizer isso para os jogadores que jogaram, lutaram, trabalharam muito, seria injusto dizer que foi isso que causou o domínio territorial do Fluminense – analisou.

Vítor Severino, que comandou o Botafogo por conta da suspensão de Luís Castro, fez questão de exaltar o empenho dos jogadores que entraram em campo no revés diante do Fluminense.

Existe agora um impacto emocional negativo, mas não é arranjar uma desculpa para termos passado mais tempo defendendo. Foi uma das variáveis, mas não a única. Tenho que passar uma palavra a todos os jogadores, alguns terminaram exaustos, mas terminaram unidos, de cabeça erguida, como tem estado sempre. Temos um grupo fantástico, uma verdadeira família. É muito fácil enaltecer uma família quando ganhamos da forma como ganhamos o jogo anterior, e é muito fácil criticar quando perdemos hoje, com menos posse de bola. Da nossa parte não haverá essa análise, estamos muito fechados uns com os outros. Os caminhos terão altos e baixos – encerrou o auxiliar.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas